Matérias

História desde a década de 1950

Nas décadas de 1950 e 60, a Carioca era uma empresa familiar que após trabalhar por praticamente 10 anos para um só cliente, a Secretaria de Obras Públicas do município do Rio de Janeiro, começou a alçar voos maiores e a buscar novos desafios, como a obra do enrocamento da Ponte Rio-Niterói.

A década de 1970 foi marcada pelo início da expansão da Carioca para outros Estados. Com a obra da BR-367, entre Porto Seguro e Santa Cruz de Cabrália, na ...

Continuar lendo →
0

A importância do projeto básico

A nomenclatura de projeto executivo no Brasil, em geral, designa o estágio do projeto em um nível de detalhamento suficiente para sua execução (construção, fornecimento e montagem). Em tese, o projeto executivo detalha somente em nível de construção e montagem, complementando o que foi estabelecido e definido no desenvolvimento do projeto básico.

É nessa fase que deve conter os elementos suficientes para a contratação de serviços e obras. Portanto, quando se fala em ter um projeto mais adequado para se evitar ...

Continuar lendo →
0

Alianças estratégicas

Este ano, a Concremat Engenharia  celebrou a parceria como novo membro do conglomerado chinês China Communications Construction Company (CCCC), um dos líderes globais do setor de infraestrutura e com atuação na construção de portos e ferrovias e também no
segmento de dragagens e fabricação de guindastes para contêineres.

O acordo coloca a Concremat em um novo patamar de desenvolvimento e, juntas, as empresas buscam o crescimento sustentável, inovação, tecnologia e economicidade. Com a parceria, a Concremat será capaz de usar ...

Continuar lendo →
0

Projetos incompletos

Os projetos executivos são documentos elaborados de forma a oferecer informações técnicas em um nível mais detalhado, possibilitando a
orientação da execução das disciplinas pertencentes ao escopo do contrato.

A elaboração de projetos executivos incompletos ou com lacunas nas interfaces das disciplinas ocasiona impactos diretos na gestão dos prazos e custos do projeto, devido ao aumento da necessidade de solicitações de mudanças ao longo de sua execução.

Quando elaborados de forma criteriosa, respeitando-se os limites de bateria e a integração das ...

Continuar lendo →
0

Depuração do mercado

O diretor presidente da HTB, Detlef Dralle, vê como benéfico o momento em que o mercado de construção e engenharia passa. “É óbvio que a crise é ruim, mas pode ser benéfica por que poderá depurar o mercado, de forma que passarão a atuar empresas mais fortes, sólidas, capitalizadas, estruturadas e organizadas”, afirma.

O executivo acredita que a iniciativa privada já está fazendo essa distinção, por se tratar de um setor que busca qualificação e transparência, com cumprimento de prazos e ...

Continuar lendo →
0

Reposicionamento da engenharia

Nos últimos três anos de engenharia e construção vêm enfrentando a maior recessão da história do País. A crise econômica e política influenciou diretamente na quantidade de projetos que de fato saíram do papel nesse intervalo de tempo. Apesar da drástica redução das oportunidades, os custos das empresas se mantiveram e a necessidade de capital de giro para iniciar novos projetos cresceu. Devido a criticidade do momento, mesmo algumas companhias tradicionais do mercado deixaram de atuar.

À frente da Reta ...

Continuar lendo →
0

Novos caminhos

O Brasil vive dias sombrios. A confiança da população nas instituições oficiais se deteriora a todo o momento, empresas outrora vistas
como “vencedoras” são delatadas em esquemas de corrupção e a economia de forma geral vai de mal a pior.
Nesse cenário caótico, vislumbram-se para as construtoras do segmento de obras públicas papel de fundamental importância na mudança da relação promíscua, entre empresas e entes públicos, e que a continuar pode levá-las ao colapso.

Esse papel pode ser visto como uma ...

Continuar lendo →
0

Gasodutos: investidores privados querem livre acesso à rede de transporte

Historicamente, a Petrobras desempenha um papel dominante na indústria de gás natural. É praticamente a única ofertante de gás no mercado nacional, além de participar direta ou indiretamente (por meio da Gaspetro ou da BR) de um número elevado de distribuidoras nos estados.
A Petrobras exerce controle operacional sobre a maior parte da rede de gasodutos do País. Este fato limita o acesso de outras empresas ao mercado e impõe uma barreira ...
Continuar lendo →
0

Energia: foco na venda de ativos da Eletrobras

Nos últimos cinco anos o investimento em infraestrutura no setor, incluindo empreendimentos contratados em leilão em anos anteriores, foi compartilhado entre empresas públicas e privadas, com uma leve predominância destas últimas. Quanto aos investimentos públicos, estes são distribuídos por companhias estaduais e pela Eletrobras, que presta serviços de geração, transmissão e distribuição de energia por meio de suas subsidiárias.
A expansão da participação privada no setor deve estar centrada na venda de ...
Continuar lendo →
0

Hidrovias demandam mais estudos de viabilidade

O Brasil possui cerca de 27.500 km de vias fluviais utilizadas para navegação, o que representa apenas 61% do potencial total navegável (cerca de 45.000 km). Os recursos de navegação ainda são limitados e concentrados nas regiões Norte e Centro-Oeste do País.
Com um investimento médio de R$ 0,54 bilhão entre 2010- 2015, valor extremamente baixo quando comparado aos demais modais de logística, os gastos em transporte fluvial foram majoritariamente públicos e ...
Continuar lendo →
0
Page 5 of 504 «...34567...»