Notícias

Retirada de blocos diminui apetite da Devon por Nona Rodada

RIO – O presidente da Devon no Brasil, Murilo Marroquim, admitiu que a retirada de 41 blocos exploratórios da Nona Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) reduziu o interesse da companhia norte-americana no leilão.

” A retirada dos blocos diminuiu muito a atratividade para nós. Só não afetou empresas menores, que têm foco em blocos terrestres. São poucas as companhias que olham para águas profundas ” , explicou o executivo.

No início do mês, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) decidiu retirar do leilão 41 blocos exploratórios situados na camada do pré-sal, uma região situada entre os litorais de Santa Catarina e Espírito Santo, depois que perfurações realizadas pela Petrobras indicarem que há possibilidade de a região guardar grandes reservas de óleo leve.

Fonte: Estadão

0

Petrobras se prepara para ofertas em diversas áreas na Nona Rodada da ANP

RIO – O gerente-executivo de Exploração e Produção da Petrobras, Francisco Nepomuceno, afirmou que a estatal entra na Nona Rodada de Licitações da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) preparada para brigar por blocos em todas as áreas oferecidas. A ANP oferta hoje cerca de 73 mil quilômetros quadrados de áreas em 271 blocos exploratórios em nove bacias sedimentares.

” Olhamos todas as áreas. Estou animado e vamos participar bem ” , disse Nepomuceno, momentos antes do início da Rodada.

Segundo ele, a retirada dos 41 blocos exploratórios na camada de pré-sal, em área litorânea de Santa Catarina ao Espírito Santo, não diminui o apetite da companhia. ” Os 41 blocos tinham grande potencial, mas a Petrobras olha as bacias como um todo e participar de diversos blocos faz parte da estratégia ” , ressaltou o executivo.

Fonte: Estadão

0

MPX Energia pede levantar mais de R$ 2,43 bilhões com oferta de ações

SÃO PAULO – A MPX Energia, empresa do grupo EBX do empresário Eike Batista, apresentou hoje os termos de uma oferta de ações que pode resultar na captação de mais de R$ 2,43 bilhões.

De acordo com o prospecto, serão ofertas inicialmente 41.882.352 ações ordinárias com preço de emissão estimado entre R$ 42,50 e R$ 50,50. O montante ainda pode ser acrescido de lote suplementar de 15%. A distribuição é coordenada pelos bancos UBS Pactual, Merrill Lynch, Itaú BBA e Santander.

A oferta será destinada apenas a investidores qualificados e as ações serão alocadas prioritariamente aos atuais acionistas da companhia, incluindo o controlador. Pelo cronograma estimado, o período de reserva vai do dia 5 ao dia 10 de dezembro e as ações começam a ser negociadas dia 14 de dezembro no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), sob o código MPXE3.

O controle da MPX é de Eike Batista, com 99,99% da ações ON, participação que cai para 71,6% com a oferta.

No prospecto, a MPX diz possuir o maior projeto de geração de energia do Brasil, compreendendo operações integradas de geração de energia elétrica no Brasil e na América Latina. Como parte desta integração a companhia também tem projetos de mineração de carvão.

Atualmente a companhia desenvolve nove projetos de geração de energia, a maioria com sites já identificados e parte deles com sua energia negociada, como por exemplo, a UTE MPX (Pecém) e a UTE Termomaranhão que em outubro de 2007 venderam a quase totalidade de sua capacidade de geração, através de contratos com duração de 15 anos.

Caso seja atingida a plena capacidade dos projetos, a MPX estima que eles poderão gerar aproximadamente 9.647 Mw.

O principal projeto é a UTE Porto do Açu, que será uma usina termelétrica a base de carvão, a ser instalada no estado do Rio de Janeiro, com capacidade de geração projetada de 1.400 Mw na primeira fase com previsão para 2012, e 4 mil Mw, na segunda fase com previsão de início para 2015, representando, aproximadamente, 55% da capacidade de geração projetada.

Fonte: Estadão

0

Ministro confirma leilão de usina do Madeira em 10/12, mas não descarta ações judiciais

RIO – O ministro interino das Minas e Energia, Nelson Hubner, confirmou a realização da licitação da hidrelétrica de Santo Antônio, no rio Madeira, para o dia 10 de dezembro. Segundo ele, não há restrição legal à participação da Eletronorte sozinha na concorrência.

A estatal, que negociava com o grupo Alusa-Schahin-Impsa, inesperadamente, abandonou seus parceiros para fazer um vôo solo. Apesar de garantir que a participação isolada da subsidiária da Eletrobrás no processo é legal, Hubner não descartou possíveis brigas jurídicas. ” Ações jurídicas fazem parte do processo ” , limitou-se a comentar.

A usina de Santo Antônio terá potencial de gerar cerca de 3.150 MW quando operar a plena capacidade. A previsão do governo é de que as primeiras turbinas comecem a funcionar em 2012.

Fonte: Estadão

0

Por US$ 1 bilhão, WTorre constrói cidade das flores nos Emirados Árabes

SÃO PAULO – A construtora WTorre assinou hoje um contrato de US$ 1 bilhão para a construção de uma mini-cidade em Sharjah, nos Emirados Árabes Unidos. A idéia do projeto, distribuído em uma área de 1 milhão de metros quadrados, é construir um complexo voltado à produção de plantas e flores, setor que recebe cerca de 30% de tudo o que é investido em construção civil naquele país. ” Por tratar-se de um lugar desértico, exigem que tenha muito verde ” , explicou o vice-presidente da WTorre, Paulo Remy.

O empreendimento (chamado Desert Rose – The green city) será construído pela recém-criada joint venture WTorre Emirates Constructions LLC, cujo controle é dividido em partes iguais pela empresa brasileira e por um grupo de investidores liderados pelo xeque Naijeb Khoory.

Segundo Remy, o projeto deve ser entregue em 2010 e prevê a construção de edifícios comerciais e residenciais, pavilhões, instalações de recreação e centros de treinamento em produção de plantas e flores. Também está incluída toda a parte de infra-estrutura, como ruas, praças, iluminação pública e tratamento de água e esgoto.

O executivo disse ainda que a estratégia da joint venture é buscar novos negócios no Oriente Médio e que algumas oportunidades já estão sendo discutidas. O presidente do grupo, Walter Torre, adiantou que já há um pré-acordo para a construção de pelo menos mil casas nos Emirados Árabes.

Existe também a intenção de atrair investidores árabes para projetos da WTorre no Brasil. Segundo informou o presidente, a primeira dessas parcerias deve ser anunciada em janeiro próximo. Walter Torre, no entanto, preferiu não dar maiores detalhes sobre quais seriam esses projetos.

Fonte: Estadão

0

Indústria garante a Mantega que demanda por cimento será atendida

BRASÍLIA – O preço do cimento não deve subir no curto prazo e a demanda, mesmo aquecida, será atendida. A garantia é do presidente do Sindicato Nacional da Indústria do Cimento, Sérgio Maçães, após sair de audiência com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Ele disse ter conversado com Mantega sobre a recente escassez do produto, porque o governo está preocupado sobre a possibilidade de desabastecimento, diante da forte expansão da construção civil e de obras previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para 2008.

” Ocorreu uma oferta mais apertada, pontual, motivada por uma demanda que subiu repentinamente ” , disse Maçães. ” A construção civil está subindo em percentuais elevadíssimos e o consumo de cimento batendo recordes, então, num primeiro momento o abastecimento fica sacrificado ” , afirmou ele. Mas garantiu que ” não vai ter falta do produto ” .

O representante das indústrias de cimento queixou-se de que o preço do produto brasileiro é inferior ao de vários países, como Canadá, México, Chile ou Argentina. E, ao mesmo tempo, tem entre seus principais insumos o petróleo, com alta volatilidade de custo nos últimos meses.

Fonte: Estadão

0

Software Compor 90 reduz tempo para orçamentos de obras de engenharia

A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) acaba de adotar o software Compor 90 para a realização de orçamentos de obras. Desenvolvido pela Noventa Tecnologia da Informação, o programa tem o objetivo de reduzir o tempo gasto na definição do custo de empreendimentos, através da padronização de insumos e composições de preços para as obras, possibilitando a produção e análise de planilhas.

O sistema está presente em todo o país e é reconhecido no segmento de engenharia e construção. Além de fazer orçamentos, o Compor 90 realiza planejamento e acompanhamento dos serviços de maneira integrada. O banco de dados possui mais de nove mil composições adaptáveis para cada caso. A CVRD informou que tem projetos de levar o programa para as unidades do exterior assim que for produzida versão em inglês.

Para utilizar o Compor 90, a CVRD criou um centro de treinamento para os usuários em Belo Horizonte, que capacitou, até o mês de outubro, 50 profissionais. Segundo o diretor comercial da Noventa Tecnologia da Informação, Eduardo Luiz Rodrigues Pulier, 32 horas de treinamento são suficientes para o usuário aprender a manusear o Compor 90. Quando adquire a licença do produto, o cliente passa a contar com o serviço de implantação, manutenção, suporte técnico, atendimento telefônico e atualizações do programa.

Fonte: Estadão

0

Ciber vende mais sete usinas para a Argélia

A Ciber Equipamentos Rodoviários acaba de vender sete usinas para a Argélia do modelo UACF 17P-2 Advanced, de 120 t/h de capacidade, que possibilita maior agilidade ao transporte e garante a utilização de até quatro tipos distintos de agregados na produção de misturas asfálticas.

As máquinas estão trabalhando em áreas da Argélia no projeto de reforço da infra-estrutura do país que engloba as regiões de Sidi-Bel-Abbes, Mostaganem, Skikda, Souk-Ahras, Adrar e Annaba. Essas obras visam ligar as regiões leste-oeste e melhorar a conexão entre as regiões sul e norte, além de viabilizarem a construção e duplicação das estradas principais e dos acessos às cidades que margeiam as respectivas rodovias.

A malha rodoviária da Argélia recebe investimentos pesados do governo e os equipamentos da Ciber foram adquiridos por empreiteiros argelinos, de acordo com o diretor-presidente Walter Rauen. “Os clientes participam de um programa bastante agressivo do governo para desenvolver a malha rodoviária argelina”, enfatiza. A marca Wirtgen, grupo alemão que controla a Ciber, reforça a presença no norte africano, o que influenciou na decisão de compra das usinas. “Na Argélia, a Ciber é representada pela TPS, que integra a rede de dealers do Grupo Wirtgen”, diz.

Em 2006, dois grupos de clientes da Argélia visitaram a Ciber para verificar a tecnologia dos equipamentos e assistência técnica presente. “Os conceitos de comando, mobilidade e agilidade, aliados aos valores de aquisição, manutenção e operação, tornam as usinas bastante competitivas na região”, conta Rauen. As máquinas se encaixam ao perfil de obras daquele mercado, que tradicionalmente compra equipamentos europeus pelo alto nível de excelência tecnológica.

Fonte: Estadão

0

Ferramentas Gerais comemora 50 anos e lança edição comemorativa de Guia

A Ferramentas Gerais comemora 50 anos de atuação nas áreas de manutenção, reparo e operação (MRO) de diversos segmentos industriais e de serviços. A empresa aproveita a ocasião para lançar uma edição comemorativa de seu Guia de Suprimentos Industriais, que reúne, em sua terceira edição, mais de 120 mil itens mantidos em estoque.

O lançamento acontece no dia 29 de novembro, na loja da Ferramenta Gerais em São Paulo, a maior do setor na América Latina, com cerca de cinco mil metros quadrados e mais de 30 mil itens para pronta-entrega. O evento, só para convidados, também marcará o primeiro ano de existência do estabelecimento, que é resultado de um investimento de R$11,5 milhões e que também funciona como showroom dos produtos e serviços da empresa. Com atuação nacional, a Ferramentas Gerais possui 23 linhas de produtos, desde pregos até máquinas de usinagem e injetoras de plástico.

Fonte: Estadão

0

SH cria o concurso “Super Mestre” e premia mestres de obras

Com o objetivo de incentivar os mestres de obras mais dedicados, a SH está lançando o concurso “Super Mestre”. Prêmio que destacará os mestres de obra que, ao final do contrato de locação com a empresa, realizarem a devolução dos equipamentos e peças sem avarias ou perdas. A intenção é evitar cobranças adicionais ao final do contrato e aumentar a produtividade no canteiro de obra.

Para concorrer aos prêmios do concurso, os mestres de obras deverão se empenhar para não devolverem peças quebradas, rachadas, furadas, empenadas, amassadas, ou com qualquer outra avaria que inutilize o equipamento.

As inscrições já estão abertas para os contratos fechados no período de 01/11/2007 a 31/03/2008, sendo que as construtoras podem inscrever um mestre de obra por contrato. Além do certificado de “Super Mestre”, os mestres poderão ganhar camisas, mochilas e aparelhos de DVD, dependendo do período dos contratos de locação. As inscrições vão de 01/11/2007 a 31/03/2008. Os interessados deverão preencher a ficha de inscrição “Concurso SH Super Mestre”, que virá anexada ao contrato e que encontra-se também disponível no site da SH.

Fonte: Estadão

0
Page 633 of 639 «...610620630631632633634635...»
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE