Hitachi comprará o negócio Power Grid da ABB, com sede na Suíça, por US $ 6,4 bilhões

Mas o conglomerado de tecnologia japonês também indicou que iria congelar um projeto de usina nuclear na Grã-Bretanha devido ao aumento dos custos, aparentemente instando o lado britânico a aumentar o comprometimento por meio de medidas como o investimento no projeto.

O acordo, a maior aquisição da Hitachi, fortaleceria a competitividade da fabricante japonesa de eletrônicos no negócio de transmissão de energia contra a General Electric e a Siemens.

A Hitachi disse que fechará o acordo para adquirir a participação de 80,1 por cento em torno do primeiro semestre de 2020. Depois que a transação for concluída, a Hitachi comprará a participação remanescente em quatro anos ou mais.

A aquisição marca um passo fundamental nos esforços renovados da Hitachi para expandir as operações no exterior, após simplificar seus negócios do grupo após a crise financeira global de 2008.

De acordo com seu plano de negócios de três anos até o atual ano fiscal que termina em março, a Hitachi pretende concluir as reformas e buscar a expansão global por meio de fusões e aquisições.

“O acordo de hoje entre a ABB e a Hitachi é um ponto de virada significativo nos mercados globais de energia e energia em um momento em que a tecnologia digital está mudando fundamentalmente nossa sociedade e o padrão de oferta e demanda de energia está se diversificando”, disse o presidente da Hitachi, Toshiaki Higashihara. .

Os negócios de energia e energia estão entre as principais operações em que a Hitachi vem se concentrando. Usando a tecnologia da Internet das coisas para a conexão on-line de uma variedade de dispositivos, a Hitachi planeja desenvolver uma rede para distribuir eficientemente a eletricidade gerada por fontes renováveis, que dependem das condições climáticas.

O mercado mundial de redes elétricas está se expandindo a uma taxa anual de 4% e deverá ultrapassar US $ 100 bilhões até 2020, disse a Hitachi.

A Hitachi e a ABB concordaram que o negócio de redes elétricas do grupo suíço vale US $ 11 bilhões e que o preço de compra foi definido após a dedução da dívida.

Separadamente, o presidente da Hitachi, Hiroaki Nakanishi, disse que a empresa disse ao governo britânico que seria difícil continuar um projeto de usina nuclear no País de Gales devido ao aumento dos custos.

“Dissemos ao governo britânico que não podemos ir mais longe” com o atual plano de construção, disse Nakanishi em uma coletiva de imprensa como chefe da Federação de Negócios do Japão.

Um executivo da Hitachi disse que a empresa provavelmente tomará uma decisão final em janeiro sobre se deve continuar com o projeto. Inicialmente planejava decidir no próximo ano.

Se a Hitachi congelar a construção da planta Wylfa Newydd de 3 trilhões de ienes, isso significará que todos os projetos nucleares no exterior promovidos pelo governo do primeiro-ministro Shinzo Abe como parte de sua estratégia de crescimento falharam.

A empresa entrou em contato com potenciais investidores no projeto, mas pouco progresso foi feito em meio à preocupação de que os custos aumentem ainda mais, segundo fontes próximas ao assunto.

A Hitachi tem pedido a Londres investimentos diretos no projeto e aumentado os preços de compra da eletricidade a ser gerada pela usina.

Fonte: ENR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *