Posts Tagged 'Outros'

Fundo TPG oferece R$ 400 mi por ativos da Abengoa

O fundo americano Texas Pacific Group (TPG) propôs adquirir os ativos em operação da Abengoa, por R$ 400 milhões, além de assumir R$ 1,4 bilhão em dívidas. Os projetos em obras (com enorme atraso) não foram incluídos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve cassar nove concessões da empresa, somando 9 mil km de linhas de transmissão orçados em R$ 7 bilhões.

Fonte: Redação OE

0

Começa travessia de cabo que ligará Brasil a África

A Angola Cables, operadora de telecomunicações globais, inicia hoje a instalação do cabo submarino de fibra óptica SACS (South Atlantic Cable Sytem), a partir da costa de Angola, em Sangano, município da Quissama. Primeiro cabo a conectar Fortaleza, no Ceará, a Luanda, em Angola, pelo Atlântico Sul, a instalação do SACS é um marco importante para a conclusão do empreendimento, que representa um novo paradigma nas comunicações digitais globais.Ao todo, o processo de instalação do cabo até sua chegada à costa cearense, deverá levar cerca de quatro a cinco meses.

Construído pela unidade japonesa da NEC, o cabo terá capacidade de pelo menos 40 Tbps e 6 mil km de extensão, tudo isso na velocidade luz, já que a troca de informações entre os dois continentes será feita em até 63 milissegundos, mais rápida que um piscar de olhos. A etapa atual de instalação do cabo em águas rasas é uma das mais importantes do empreendimento, por exigir a participação de diversos especialistas, como explica António Nunes, CEO Global da Angola Cables.

“A instalação do SACS em alto mar irá envolver a participação de engenheiros, profissionais de TI e mergulhadores profissionais para que o cabo realmente seja fixado com segurança em solo marítimo”, conta Nunes. Ainda de acordo com o executivo, o SACS traduz a capacidade da companhia de encontrar soluções para problemas ainda inexistentes, uma vez que o cabo foi projetado e desenvolvido para atender a demanda de dados das próximas gerações. “Durante dois meses fizemos o mapeamento completo do terreno onde o cabo será instalado no Atlântico Sul. Dessa forma, definimos o melhor caminho a ser percorrido, evitando possiveis rupturas que ele possa sofrer devido às movimentações rochosas do solo”, afirma.

Hoje, além do SACS a Angola Cables conta com outros dois grandes projetos no Brasil, totalizando US$ 300 milhões em investimentos. São eles: o cabo Monet, que ligará Miami, nos Estados Unidos a Santos, passando também por Fortaleza. Este por sua vez conta ainda com as participações do Google, Algar Telecom e Antel (Uruguai). A previsão é que ele comece a operar no último trimestre de 2017; o segundo projeto é a construção de um Data Center internacional, em Fortaleza, que será um agregador de cabos submarinos de fibra óptica. Em construção, ele iniciará suas operações no primeiro semestre de 2018.

Quando toda a rede internacional estiver concluída, Nunes ressalta que haverá uma grande mudança nas telecomunicações globais, já que a troca de dados intercontinentais passará a ser mais rápida levando cinco vezes menos o tempo atual para que o continente africano tenha acesso aos conteúdos produzidos nas Américas, região que concentra os maiores centros de produção do mundo.

“Angola está cada vez mais próxima de se tornar um dos principais centros das telecomunicações da África subsaariana. Os cabos submarinos e Data Center irão criar novos caminhos para troca de informação e nos tornar parte dos grandes circuitos internacionais”, conclui.

A Angola Cables é uma multinacional angolana de telecomunicações, fundada em 2009, que opera no mercado de atacado, cujo negócio principal é a comercialização de capacidade em circuitos internacionais de voz e dados através de sistemas de cabos submarinos de fibra óptica. É um dos maiores acionistas do WACS (West Africa Cable System), que liga a Africa do Sul à Londres, fornecendo serviços de nível de operador a operadores em Angola e na região subsaariana, tornando-se assim um dos maiores fornecedores de IP na região.

Seus principais projetos – SACS e Monet – vão interligar três continentes: América do Sul, América do Norte e África, bem como o Data Center de Fortaleza, uma instalação de Nível III que irá interligar os seus sistemas de cabo criando uma rede altamente conectada. Hoje a empresa já opera um Data Center em Angola, o Anganop.

Fonte: Redação OE

0

Congresso coloca o setor de infraestrutura em debate

O V Congresso Internacional do Instituto Brasileiro de Direito da Construção (IBDiC)acontece nos dias 4 e 5 de setembro, em São Paulo, e recebe os principais especialistas e profissionais atuantes do setor de infraestrutura.

O evento divide em dez painéis os debates sobre os cenários político e econômico e seus efeitos no mercado, o futuro do setor na América Latina, o papel do BNDES em projetos e arbitragem de infraestrutura no Brasil e na Europa.

Também serão abordadas as mudanças na Lei de Licitações, gestão contratual, implantação de Dispute Boards no País, a MP da regularização fundiária e questões do direito tributário no setor imobiliário.

Entre os palestrantes estão Fernando Marcondes (IBDiC), Carlos Henrique de Oliveira (Receita Federal), Carlos Forbes (CAM-CCBC), Luciana Levy (Concessionária Via Rio), Ricardo Medina Salla (L.O.Baptista Advogados), Pierre Genton (Obra Canal do Panamá), Seguimundo Navarro (Seguimundo Navarro Advogados/Espanha), entre outros.

Mais informações pelo sitehttp://ibdic.org.br/congresso

Fonte: Redação OE

0

Obras no Ceará têm recursos do BID

O Governo do Ceará, por meio do Departamento Estadual de Rodovias (DER), deu início esse ano a duas importantes obras na região do Cariri. Os serviços se referem à pavimentação da CE-292, no trecho Missão Velha – Juazeiro do Norte; e à duplicação da CE-293, no trecho Missão Velha – Barbalha, que beneficiará diretamente aos municípios de Missão Velha, Barbalha e Juazeiro do Norte.

Ao todo, o Governo e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) investirão R$ 63,3 milhões nas ações, em uma extensão de 33 km, sendo 11,5 km de pavimentação da rodovia CE-292 e 21,44 km de restauração e duplicação da CE-293. Estas obras estão inseridas nos 26 trechos de rodovias estaduais que estão sendo recuperados, pavimentados e duplicados, somando 702,07 km de obras em andamento no Ceará, com investimento total de R$ 666 milhões.

Em abril último, o governo já havia inaugurado as obras de pavimentação da CE-458, trecho Flores-Quixeré, e da ponte sobre o rio Jaguaribe. As obras fazem parte do Ponta a Ponta: O Programa de Logística e Estradas do Ceará, que integra todas as obras de infraestrutura rodoviária do Estado.

Nessa obra, os 10,78 km receberam R$ 46.098.940,17 de investimento. A ponte construída sobre o rio Jaguaribe tem 480 m de extensão. As intervenções passam a beneficiar diretamente a população dos municípios de Russas, Quixeré e Limoeiro do Norte.

Na data de entrega dessas duas intervenções, foram assinadas ordem de serviço para obras na cidade de Russas, envolvendo pavimentação, drenagem e urbanização. Os investimentos são de cerca de R$ 5 milhões, por meio também de financiamento do BID. A previsão de conclusão da obra é de oito meses após o início da construção.

Por fim, na CE-166, o trecho de 28,68 km recebeu investimentos de R$ 30.678.581,70, beneficiando diretamente os moradores de Piquet Carneiro e Senador Pompeu. O Governo do Ceará investiu R$ 76.777.521,87, com recursos do Tesouro Estadual e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em serviços de terraplenagem, pavimentação, revestimento asfáltico, obras de arte correntes e especiais, drenagem, serviços auxiliares, sinalizações horizontal e vertical e proteção ambiental.

Fonte: Redação OE

0

Programa de Goiás prevê R$ 9 bi em obras até 2018

O programa Goiás na Frente, anunciado pelo governo do Estado em março, prevê R$ 9 bi em investimento público e privado em obras em diversas áreas até o ano que vem. Parte dos recursos é proveniente da privatização da Companhia Energética de Goiás (Celg), adquirida pela empresa italiana Enel.

Os investimentos serão, em sua maioria, destinados à infraestrutura, principalmente na recuperação e manutenção de estradas. No total, são R$ 2,2 bilhões para aplicação em todo o Estado.

Na área de saneamento, por meio da Saneago, pelo menos R$ 1 bilhão será aplicado em projetos ambientais em Aparecida de Goiânia, Trindade, Rio Verde e Jataí, além de obras estratégicas da empresa de saneamento goiana.

Na educação, há investimentos pelo programa de R$ 513 milhões em conclusão de escolas.

A Enel tem previsto em aplicar pelo contrato de concessão de Celg entre esse ano e 2018 cerca de R$ 2,4 bilhões.

Fonte: Redação OE

0

Governo de SP impulsiona projeto de habitação

No início do ano, o governo do Estado de São Paulo deu início às obras do Complexo Júlio Prestes, na região central da capital paulista. Trata-se de uma das maiores empreendimento de habitação social do País. O projeto está sendo viabilizado por meio de parceria público-privada (PPP) com a Canopus, vencedora do lote 1 de licitação do projeto.

A PPP do centro da capital paulista prevê inicialmente a construção de 3.683 moradias, das quais 2.260 são de habitação de interesse social e 1.423 são de habitação de mercado popular. Os investimentos da iniciativa privada serão de R$ 919 milhões e a participação do Estado alcançará R$ 465 milhões divididos ao longo de 20 anos.

O complexo todo será dividido em quatro edifícios de 17 andares, três prédios de três pavimentos e um edifício de 13 andares. Haverá um boulevard em continuidade à rua Santa Efigênia, com uma praça e área verde. A nova sede da Escola de Música Tom Jobim será instalada no local e terá salas de aula e auditórios preparados para o aprendizado de cerca de 1,3 mil estudantes e creche para 200 crianças, com 13 salas de aula.

Fonte: Redação OE

0

Hines conclui outlet e assina parceria de R$ 600 mi

Um outlet de 21 mil m² de área bruta locável (ABL) será inaugurado neste semestre em Taubaté (SP), e é o primeiro projeto do gênero da Hines, no qual investiu R$ 100 milhões.

A empresa lançou recentemente seu primeiro empreendimento residencial associado a Vitacon, na Vila Mariana, na capital paulista, com unidades de 16 m² a 40 m², e vendeu 50% em uma semana. No total, a parceria entre ambas empresas prevê qua­tro projetos em que a gestora investirá R$ 600 milhões.

Fonte: Redação OE

0

Canadian Solar mantém programa de R$ 2,3 bi

A empresa canadense destinará esse valor para implantar cerca de 400 MW de plantas de energia solar no País, além da linha de produção de painéis solares na fábrica de Sorocaba (SP), já em operação. A Canadian vendeu dois projetos em execução para a francesa EDF, que assumiu 80% das plantas fotovoltaicas Pirapora I, de 191 MW, e Pirapora II, de 115 MW, em Minas Gerais.

Fonte: Redação OE

0

SP tem potencial para R$ 40 bi em projetos de óleo e gás

A partir das nove rodadas de licitações de campos de petróleo e gás programadas até 2019, segundo a Agência Nacional do Petróleo, o Estado de São Paulo pode vir a receber o montante de R$ 40 bilhões em investimentos diretos.

Para processar os 5 bilhões de barris de óleo recuperável do litoral paulista, serão necessários 11 unidades de produção e mais de 170 poços. Três rodadas serão realizadas ainda este ano.

Fonte: Redação OE

0
Page 1 of 12 12345...»
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE