Termelétrica exige montagem de 7.400 t de estrutura metálica

A Niplan está à frente na construção de um dos principais projetos de energia do País. Trata-se da Usina Termelétrica Pampa Sul, da Engie, em Candiota (RS). No escopo dos trabalhos da empresa está a montagem das principais estruturas metálicas do prédio da turbina e da caldeira, incluindo suas tubulações – tudo somado do escopo do contrato totaliza 7.400 t de estrutura metálica.

Há ainda trabalhos da Niplan nas tubulações da área CWP (circulating water pipe), que chegam a atingir 2,5 m de diâmetro – CWP são tubulações que levam água resultante do processo para a torre de resfriamento. O escopo da empresa engloba também o prédio dos silos de carvão, pipe rack, além de outras áreas menores; e a montagem do sistema de dutos de vapor.

A chinesa SDEPCI – Shandong Electric Power Enginnering Consulting Institute, empresa com experiência global em projetos e engenharia
na área de energia, é a responsável pelo empreendimento na modalidade EPC, e a SEPCO1 executa montagem eletromecânica em algumas áreas e gerencia a mão de obra direta delas. Neste projeto a Niplan está sob o gerenciamento da empresa Sepco1.

De acordo com a Niplan, o grande desafio nesta obra tem sido o gerenciamento de pessoas, pois são muitas interferências com equipes de outras empresas. Isso tem exigido flexibilidade e criatividade no planejamento.

Foram cerca de 3.500 pessoas atuando simultaneamente no projeto, com bastante interação entre trabalhadores chineses e brasileiros.

Na comunicação, em alguns casos, exigiu-se a contratação de intérpretes. Rigor nas inspeções, controle da documentação e produção de
relatórios também foram essenciais.

A moderna UTE Pampa Sul, que tem o carvão mineral como insumo para geração de energia, terá capacidade total de 680 MW, composta
por duas unidades geradoras de 340 MW cada.

A região de Candiota, onde está sendo construída a usina, possui as maiores jazidas de carvão mineral do País, com custos de produção mais baixos. A localidade ainda possui infraestrutura rodoviárias e de energia de transmissão, o que favorece a implantação de um projeto desse porte.

Nesta UTE, a principal diferença tecnológica em relação a outras usinas termelétricas a carvão no País, é a utilização de caldeira do tipo
leito fluidizado circulante, que apresenta maior flexibilidade quanto a variações na qualidade do combustível e é mais adequada ao carvão
encontrado em Candiota. Além disso, a caldeira que está sendo implantada resulta em menos emissões do dióxido de nitrogênio e enxofre.

Os demais equipamentos da usina (turbina, filtros de manga, gerador, condensador, torre de resfriamento, bombas, precipitadores eletrostáticos etc.) utilizam tecnologias adotadas em outras usinas do tipo.

A estrutura metálica da caldeira, juntamente com as vigas de sustentação da fornalha, atinge 70 m de altura. Antes de iniciar a montagem das estruturas, a Niplan informa que foram executados planos de rigging pelas empresas operadoras dos guindastes, observando a área de atuação dos guindastes e suas respectivas capacidades, além do peso das estruturas a serem montadas. As estruturas eram pré-montadas em um pátio de armazenamento e na sequência eram levadas pelos guindastes até o local exato para fixação.

Na obra, as estruturas dos principais prédios já foram executadas, os equipamentos da caldeira e da casa de turbina estão em fase de finalização, assim como a tubulação do sistema de dutos de ar e gases e os serviços de elétrica e instrumentação. Atualmente, iniciou-se o processo de comissionamento, testes e isolamento térmico na planta.

A Niplan iniciou suas atividades na UTE Pampa Sul em julho de 2016, chegando a um pico de aproximadamente 1.400 trabalhadores.

A previsão de término da obra é fevereiro de 2019.

Outras empresas envolvidas neste importante projeto incluem a Promon (consultoria e gerenciamento) e M. Roscoe (obras civis).

Facebook Comments
siga-nos em nossas redes sociais
0