Abcic lança Anuário 2011, com pesquisa de mercado

Levantamento exclusivo indica que 86% das empresas aumentaram o faturamento em 2010

O Anuário 2011, da Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (Abcic), traça um extenso levantamento do setor, incluindo o histórico de aplicação da tecnologia no Brasil. A publicação também traz, com exclusividade, uma pesquisa sobre o segmento, incluindo dados de produção e estimativas de crescimento.

O Anuário faz parte das comemorações de 10 anos da instituição e, além dos capítulos sobre história, tem uma série de reportagens discutindo tecnologias de pré-fabricado de concreto, uso da construção industrializada em setores como habitação, infraestrutura e estádios e temas como sustentabilidade e arquitetura. As novas tecnologias como concreto autoadensável e concreto protendido foram abordadas em um extenso capítulo, que fala da contribuição desses avanços para a ampliação da capacidade produtiva das empresas do setor

Outro capitulo especial foi dedicado à normalização brasileira atual a respeito da construção usando concreto pré-fabricado. Parte especial desse processo foi a criação do Selo de Excelência da Abcic, inspirado na experiência internacional dos Estados Unidos e da Europa e que tem sido conferido a várias plantas no País. O documento ainda agrega o depoimento de personalidades nacionais e internacionais do universo da construção civil e da pré-fabricação em concreto.

Pesquisa atualizada

Além de informações recentes como o estado atual dos estádios para a Copa de 2014 com uso de pré-fabricado de concreto, o Anuário inova ao apresentar uma pesquisa com pré-fabricadores brasileiros, listando tendências de uso deste sistema construtivo, indicações de produção em 2009-10 e tendências de ampliação da produção para os 2011-13, indicando que o setor acredita no aquecimento da construção civil como vetor de crescimento da pré-fabricação em concreto no Brasil.

Para 86% das empresas ouvidas, por exemplo, o ano de 2010 apresentou um crescimento em termos de faturamento. A construção industrial e os centros de distribuição e logística, além das obras de varejo, como supermercados, puxaram o crescimento.

E o incremento continua em 2012-13, pois 54% das empresas entrevistadas avalia que o setor cresça 15% a mais nesse período. Outro dado interessante revelado pela pesquisa é que 58% dos entrevistados ainda não atua em obras residenciais, mas pelo menos 50% deles tem a intenção de entrar nesse mercado, comprovando que a construção civil poderá aproveitar mais as vantagens da tecnologia.

De acordo com a pesquisa, entre 2009 e 2011, as ações dos pré-fabricadores estiveram concentradas na ampliação do quadro de funcionários (82% indicaram esse fator) e na implantação ou otimização de pontes rolantes e pórticos e formas especiais, atividades indicadas por 78,5% dos entrevistados. A ampliação do galpão da fábrica aparece em terceiro lugar, sendo citada por 71% das empresas ouvidas na pesquisa. Há empresas que ampliaram sua área de estocagem em 50 mil m2.

Acesse a pesquisa

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *