Fórum Infra 2021

BNDES e 13 concessionárias discutiram novos investimentos em infraestrutura no FORUM INFRA2021

A Sanepar, outra palestrante no evento, mostrou seu plano de negócios que prevê investimentos em 2020 de R$ 1,56 bilhão, sendo R$ 348 milhões em novos negócios e R$ 649 milhões em manutenção. Uma inovação da empresa consiste na construção de ETE por parceira privada, que depois de pronta é remunerada por locação.

A Concessionária Tamoios abriu os trabalhos da tarde do Fórum Infra2021 expondo as obras da maior obra rodoviária em andamento no país, com quatro túneis e oito viadutos, no trecho de serra da Rodovia Tamoios, no Litoral Norte de São Paulo, onde se destaca o uso de um teleférico para transporte de materiais e pessoal.

Na vez da Comgás, foi exposto que mais de 70% de seus investimentos são destinados à expansão da rede. A CPTM apresentou o projeto de expansão da Linha 9-Esmeralda, no extremo da zona sul de São Paulo, que trará transporte sobre trilhos para uma das regiões mais populosas da capital, reduzindo o trajeto ao centro de 3 para 1,5 hora.

A Pacto Energia levou ao público o potencial da geração centralizada de energia solar no país. A empresa desenvolve projetos nessa área, principalmente no Nordeste e dá preferência a essa modalidade porque a construção das usinas solares é mais rápida do que os parques eólicos.

A Arteris, em sua palestra, contou as inciativas em desenvolvimento na ViaPaulista, concessionária do grupo responsável desde 2017 pela chamada Rodovias dos Calçados, no interior de São Paulo. Pelo projeto, mais de 280 km de rodovias serão duplicadas e cobertura de wi-fi. O investimento total alcança R$ 5 bilhões em obras e serviços em 30 anos de contrato.

A concessionária de energia que esteve no Fórum Infra2021 foi a ISA CTEEP. A empresa está trabalhando em dez novos empreendimentos de linhas de transmissão, com investimentos de R$ 3,8 bilhões.

A Sanasa revelou seus investimentos nos próximos quatro anos em Campinas (SP). Somente no sistema de esgotamento serão R$ 273 milhões, com implantação de 141.858 m de redes coletoras; 30.040 m de interceptores/coletores e 21 Estações Elevatórias de Esgoto; 17.226 m de linhas de recalque; e ampliação de 6 ETEs.

O evento foi encerrado com a apresentação da certificação internacional em compliance, em um acordo da Associação Brasileira de Engenharia Industrial-ABEMI com a entidade americana Trace, que passa a ser disponível para empresas brasileiras.

A Systra mostrou aos presentes cases de otimização de infraestrutura no metrô de Paris, na França, e Santiago, no Chile, valendo-se da captação da energia de frenagem dos trens para reúso no primeiro caso, e através de sistema de sinalização embarcada que reduziu o intervalo entre os trens para 100 segundos nos horários de pico, no segundo caso.


“Obras de Engenharia do Ano”
 

Depois do Fórum Infra2021, ocorreu a tradicional solenidade de premiação do Ranking da Engenharia Brasileira 2019, quando foi lançada a edição especial da revista OE contendo a pesquisa sobre as empresas mais atuantes nos mercados de construção, projetos e gerenciamento, montagem industrial e serviços especiais de engenharia.

Como novidade, a premiação foi feita a 32 empresas, agraciadas com diplomas e troféus, pela participação delas nas “Obras de Engenharia do Ano” eleitas pela revista OE. A empresa premiada representou as demais firmas de engenharia que participaram da obra.