Pavimento de concreto pode ser alternativa mais viável para a melhoria das estradas brasileiras

Segundo pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgada recentemente, 57,4% das rodovias brasileiras apresentam deficiências e necessidade de reparo. O estudo destaca que o número de pontos críticos duplicou, passando de 109 para 219, e comprova a necessidade do emprego da tecnologia que melhorem a qualidade e durabilidade das estradas brasileiras, principalmente nas vias de tráfego pesado.

“O pavimento de concreto é a melhor alternativa para que essa situação seja revertida, por apresentar excelente desempenho para vias de tráfego intenso, pesado e repetitivo, além de trazer vantagens também para o meio ambiente, para o Poder Público e para a sociedade, pois o dinheiro economizado na manutenção pode ser utilizado na construção de novas rodovias”, afirma Ronaldo Vizzoni, gerente nacional de infraestrutura da ABCP.

O pavimento de concreto, ao contrário do que se pensa, não é novidade nas vias e rodovias. O Brasil foi um dos primeiros países a empregá-lo já no início do século XX, e sua utilização foi intensificada até a década de 1970, diminuindo a partir daí por aspectos da conjuntura econômica e financeira do país. A partir dos anos 90, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) retomou a promoção do pavimento de concreto, buscando no exterior o que havia de mais moderno em tecnologia , além de reciclar seus profissionais.

Hoje, o Brasil já conta com importantes obras executadas em pavimentação rígida, entre elas a BR-101 Nordeste, Serra de São Vicente (MT), Rodoanel Sul (SP), Marginal da Rodovia Presidente Dutra (SP/RJ), além de diversas obras de pavimentação urbana executadas com concreto, em Curitiba, São Paulo, Brasília, Porto Alegre e em processo de construção, como o corredor Transcarioca no Rio de Janeiro.

Vias Verdes

O pavimento de concreto é uma das alternativas mais recomendadas para atender às exigências ambientais, cada vez mais rigorosas e determinantes para a aprovação dos projetos. Por ter maior durabilidade, exige poucas intervenções, resultando em redução de custos e menos impactos ao meio ambiente.

O concreto apresenta uma situação muito positiva em relação ao meio ambiente, considerando que:

  • O cimento aproveita muitos subprodutos industriais (escórias de alto-forno, cinzas volantes de termelétricas, gesso sintético etc.), o que já representa vantagem ambiental.
  • Tem durabilidade de 3 a 6 vezes superior às outras alternativas.
  • Não sofre deformação plástica, trilhas de rodas ou buracos.
  • Proporciona economia de energia elétrica devido a sua cor clara.
  • Não promove aquaplanagem.
  • Economia de combustível principalmente nos caminhões carregados.
  • Resistência à deformação ou degradação devido a derramamento de óleo ou combustível.

Pavimento urbano

O pavimento de concreto é muito eficiente quando empregado em corredores de ônibus, por ter vida útil maior que as demais alternativas de pavimentação e por não sofrer deformações plásticas – como as famosas “trilha de rodas” ou buracos. Com isso, permite também redução no custo de operação dos veículos.

A parceria entre a ABCP e a prefeitura de Curitiba pode ser citada como case de referência em pavimentação urbana com a implantação da chamada “Linha Verde”. A Linha Verde, implantada na antiga BR 116, foi transformada em avenida e corredor de transporte. A avenida tem dez faixas de tráfego, incluindo canaletas de uso exclusivo do transporte. As pistas ao lado das canaletas são vias rápidas. As pistas ao lado das rápidas são as locais, para acesso ao comércio e aos bairros. Há duas faixas para estacionamento e as canaletas que circulam os ônibus são também de concreto.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *