Categorias

28 de janeiro de 2021

Plataforma de informação sobre Infraestrutura, Construção Industrial e Edificações

Viracopos, trem-bala e o terceiro aeroporto

3 min read
Viracopos, trem-bala e o terceiro aeroporto

O texto “Viracopos será maior terminal sul-americano” (Gazeta Mercantil, 02/03/09), tratou dos planos da Infraero e do ministério da Defesa para a ampliação do aeroporto internacional de Viracopos, em Campinas, objetivando transformá-lo no maior da América do Sul. Não resta dúvida que os objetivos são dignos de todos os elogios, visto que tanto Congonhas como Cumbica (Guarulhos) estão no limite.

Os números previstos para Viracopos são grandiosos: “O investimento previsto é de R$ 6,4 bilhões, em vinte anos”, visto que, “segundo o ministério da Defesa, a demanda de passageiros estimada para os três aeroportos – Congonhas, Guarulhos e Viracopos – para 2025 é de 115 milhões, sendo que cerca de 50% serão de passageiros do aeroporto de Campinas”.

Para que Viracopos seja viabilizado é mister que o Trem de Alta Velocidade (TAV) que ligará São Paulo ao Rio de Janeiro (e que tem parada em Campinas) seja iniciado o mais rápido possível, pois sem um transporte veloz, eficiente e confortável, o aeroporto ampliado não passará de um grande “elefante branco” (o aeroporto de Narita, no Japão, fica a 120 quilômetros de Tóquio, distância essa que é percorrida em somente 20 minutos através do TAV).

No entanto, na expansão de Viracopos há um dado preocupante, ou seja, “para a realização dessas obras e principalmente da segunda pista de pousos e decolagens, a Infraero terá que desapropriar 88 propriedades rurais, 3.172 lotes urbanos e 141 famílias que estão em volta do aeroporto”, informa a Gazeta Mercantil. Será que a Infraero terá permissão do presidente Lula para fazer estas desapropriações e retirar estas famílias em ano de eleições?

Vale lembrar que em 2007, com o país ainda traumatizado pelo acidente da Tam que vitimou 199 pessoas em Congonhas, voltou-se a falar na construção da terceira pista de Cumbica e do terceiro aeroporto. Como sabemos que desde então nada mudou, é importante que analisemos estes dois assuntos.

A matéria “Crise atinge Aeroporto de Cumbica”, do “Estadão”, de 31/07/07, informou que “existem pelo menos 25 mil pessoas para serem desapropriadas”, pois “os moradores dos nove bairros vizinhos ao aeroporto tiveram um crescimento populacional de 156% entre 1980 e 2000”. Como já era de esperar, o governo desistiu de construir a terceira pista de Cumbica. Ou alguém esperaria que os petistas retirassem 25 mil eleitores da área? Só mesmo quem acreditasse em coelhinho da Páscoa!

No que se refere ao terceiro aeroporto, esse assunto até parece piada. O Conselho de Aviação Civil – Conac, através da Resolução nº 006/07, de 20/07/07, item 7, determinou à Anac em conjunto com o Comando da Aeronáutica que apresentassem, “no prazo de 90 (dias), estudo de localização de sítios aeroportuários em São Paulo”. Como os dois órgãos não conseguiram atender o prazo, o mesmo Conac através da Resolução nº 20, de 18/10/07, decidiu “prorrogar por 180 (cento e oitenta) dias, a partir de 22 de outubro de 2007, o prazo conferido na Resolução nº 006/07, de 20/07/07” (DOU, 19/10/07, Seção 1, pág. 8), ou seja, até 22/04/08. Quase dois anos depois “segundo o ministério da Defesa, a previsão é que os estudos sejam concluídos em junho deste ano”, ou seria junho de 2010 para alavancar a campanha da “companheira” Dilma?

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *