Caminhamento sobre vias para identificar melhorias

A Rumo iniciou um plano de investimento em material de transporte, operação e infraestrutura da via permanente até 2019, condicionado à negociação de renovação do contrato de concessão junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Com esse investimento, vislumbra-se um aumento significativo no transporte de carga pela ferrovia.

Dentro desse cenário, destaca-se a ferrovia EF-364 (Rondonópolis/MT – Campinas/SP), principal corredor de escoamento de grãos oriundos do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e de açúcar do Estado de São Paulo. O projeto executivo da extensão Alto Araguaia (MT) à Rondonópolis, com 256 km, foi desenvolvido pela Egis (antiga Vega Engenharia) no ano de 2010. Essa ferrovia representa também a principal ligação da malha ferroviária paulista ao Porto de Santos, onde através de um terminal de carregamento exclusivo, a Rumo almeja ter maior competitividade no valor do seu frete perante os demais concorrentes.

A Egis está participando desse processo de desenvolvimento e modernização da Rumo, desde janeiro de 2016, com a elaboração dos projetos básico e executivo de duplicação da Ferrovia EF-364, entre as cidades de Campinas e Itirapina (SP), além da ampliação e/ou implantação de pátios de cruzamento distribuídos na rede concessionada nos Estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Além das etapas dos projetos, a equipe técnica da Egis está percorrendo os 318 km da malha, com o intuito de obter maior sensibilidade da situação existente, projetar as melhores soluções de engenharia e suprir as atuais necessidades operacionais. Essa fase foi denominada “caminhamento”. O prazo para a conclusão dos serviços contratados é dezembro de 2017.

Fonte: Redação OE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *