Destinados R$ 2,89 bi para Refinaria Abreu e Lima

A Petrobras assinou no dia 19 de março cinco grandes contratos, no valor global de R$ 2,89 bilhões, para a construção da Refinaria Abreu e Lima (Refinaria do Nordeste). Um dos contratos, firmado com as empresas EIT e Engevix, no valor de R$ 591.324.229,09, e prazo de execução de 638 dias, prevê a construção de edificações como prédio administrativo, Centro Integrado de Controle, oficinas de manutenção e inspeção de equipamentos, almoxarifados, laboratório de qualidade de produtos, prédios da área de segurança, meio ambiente e saúde, telecomunicações e segurança industrial.

Outro contrato (Lote I), firmado com a Techint, Usiminas e Confab, garante a e instalação de 11 tanques, com capacidade total de 1 milhão de m3, para armazenamento de petróleo, produtos intermediários e produtos finais. O valor definido é de R$ 527,5 milhão e o prazo de execução é de 1115 dias. Os produtos intermediários são aqueles que saem de uma unidade e ainda serão tratados em outras até se tornarem produtos finais, tais como diesel, nafta, óleo combustível etc, que abastecerão os clientes da refinaria.

O lote II, prevê a instalação de outros 63 tanques, com capacidade total de 1 milhão de m3. Esse contrato foi assinado com as empresas Alusa, Queiroz Galvão e Tome, com prazo de 1145 dias e valor de R$ 730.750.000,00.

Os equipamentos elétricos das sub-estações da refinaria e de assistência técnica em todas as etapas da implantação fazem parte do Contrato Global de Elétrica, que foi assinado com a Orteng. Este contrato, no valor de R$ 269.536.530,12 e prazo de 1260 dias, além dos ganhos de escala que proporcionará, promoverá a padronização dos equipamentos elétricos da planta e permitirá, de acordo com representantes da Petrobrás, que o fornecedor incorpore o seu know-how ao projeto, melhorando a qualidade final e os custos e prazos parciais de implantação.

Outra obra contratada para a refinaria é a da construção da Estação de Tratamento de Água (ETA), com capacidade de processamento de 2 mil m3/hora de água filtrada e 400 ton/hora de água reprocessada para uso industrial. A obra, no valor de R$ 774 milhões e prazo de 819 dias, ficará a cargo das empresas Enfil e Veolia.

O processo de tratamento da água bruta, recebida das represas que abastecem o pólo industrial de Suape e a refinaria, consiste em filtrar e tratar quimicamente a água recebida e que será disponibilizada com diferentes especificações de pureza:
Água industrial – apenas filtrada, que será usada basicamente nos serviços de manutenção.
A água clarificada – para uso nos sistemas de resfriamento das unidades de processo
Água deionizada – a água pura, isenta de qualquer impureza, inclusive sais dissolvidos, será usada na produção de vapor e nas unidades de geração de hidrogênio.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *