Ferrovia senador Vicente Vuolo: Obras retomadas este mês

A América Latina Logística (ALL) confirmou ontem que começará ainda este mês as obras da Ferrovia senador Vicente Vuolo, antiga Ferronorte, unindo os municípios de Alto Araguaia a Rondonópolis, ao sul de Cuiabá.

Em nota divulgada ontem, a ALL informa que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento no valor de R$ 691,6 milhões para a execução da obra, que abarca trecho de 251 quilômetros.

Segundo a ALL, o Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo Serviço (FI-FGTS) negocia com a concessionária pública a adesão ao projeto na condição de investidor.

As garantias de recursos e de retomada ainda em julho feitas ao mercado despontam após uma verdadeira “novela” envolvendo a expansão dos trilhos em Mato Grosso e não deixa de causar surpresa: há cerca de 15 dias, o empreendimento era algo fora dos planos da controladora da linha férrea. Acordo celebrado com o governo federal ainda em 2008 prevê a conclusão do trecho até o final de 2010.

Em coletiva de imprensa marcada para logo mais às 16h, na sede da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), membros do Fórum Pró-Ferrovia e membros da bancada parlamentar mato-grossense repassarão detalhes do cronograma de execução da construção dos trilhos até Rondonópolis (210 quilômetros ao sul de Cuiabá).
Reportagem publicada pelo Diário no final de junho revelou que a um ano e meio do término do prazo acordado junto ao governo federal para a conclusão das obras da ferrovia até Rondonópolis, a ALL ainda não havia entregado os documentos básicos ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para a liberação de licenças de instalação. A obra também não estava prevista no mais novo aporte de investimentos obtido pela ALL junto ao BNDES até então, de R$ 2,1 bilhões. Esse montante será injetado na modernização da estrutura já existente, incluindo as locomotivas, vagões, dormentes e terminais, como foi confirmado pela própria concessionária.

Até então, o Ibama posicionava que a ALL, embora tenha pedido a licença de instalação até Rondonópolis, devia ao órgão uma série de documentos considerados básicos à liberação da autorização ambiental. O licenciamento concedido até então se restringia a um trecho de 13 quilômetros a partir de Alto Araguaia, algo muito pequeno perto dos 250 km até Rondonópolis.

De acordo com o presidente do Fórum Pró-Ferrovia, vereador Francisco Vuolo, a nova informação vinda de Brasília e também repassada pela controladora é a de que as falhas documentais foram sanadas.
CUIABÁ – Vencida a etapa Alto Araguaia-Rondonópolis, a entidade começa a se concentrar em outra missão: assegurar que o trecho Rondonópolis-Cuiabá, com o devido aporte financeiro necessário, seja assegurado entre as prioridades do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) na área de infra-estrutura e transportes.

“Se não houver pressão política, sabemos que as coisas não acontecem. A construção até Rondonópolis está garantida e agora concentraremos os esforços em Brasília para que a chegada da ferrovia até Cuiabá seja garantida no PAC”, destaca Francisco Vuolo.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *