Retomada licitação de tratamento de esgoto do Parque Morumbi

A Prefeitura de Mogi das Cruzes dará andamento à licitação pública para a construção do coletor-tronco de esgotos na margem direita do Ribeirão Ipiranga após não indeferir um recurso apresentado por uma empresa concorrente, que foi inabilitada. Com isso, a abertura dos envelopes com a proposta comercial está agendada para amanhã.

Segundo o Serviço Municipal de Águas e Esgostos (Semae), o coletor será construído entre o Parque Morumbi e o Centro, com um total de 6,7 quilômetros. O prazo da obra será de 24 meses após a conclusão do processo licitatório, assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço. O investimento com dinheiro federal será de R$ 7,7 milhões.

O sistema atenderá o Parque Morumbi, Vila da Prata, Conjunto São Sebastião, Pedreira, Caputera, Mogi Moderno e parte da região central.

A obra é aguardada pelo líder comunitário do Parque Morumbi, Décio Rodrigues Lopes, que denuncia que a falta do sistema de esgotamento no bairro polui as três nascentes e um lago formado por elas. Em 2010, ele ingressou com uma queixa na Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). A Prefeitura recebeu autuações pela poluição das nascentes.

De outubro daquele ano a fevereiro de 2013, a autarquia instalou a tubulação para coleta de esgoto no bairro. Para o tratamento, a ideia era construir uma estação compacta, uma proposta rejeitada pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

Em 2016, o município conseguiu garantir verba da Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (que pertencia ao então Ministério das Cidades). No entanto, ao longo de três anos, a Prefeitura não abriu a licitação porque aguardava a liberação dos recursos da Caixa Econômica Federal. O esgoto será enviado para o interceptor-tronco da Estação de Tratamento da Sabesp, em Suzano. Concluído, o sistema proporcionará um aumento de 6,4% no esgoto tratado.

Jundiapeba

A Secretaria Municipal de Obras iniciou a preparação do terreno para construção de uma nova Estação Elevatória de Esgotos em Nova Jundiapeba e o assentamento de 15 quilômetros de redes, 1.760 metros de coletor-tronco e 1.240 metros de linha de recalque (bombeamento). O investimento será de R$ 9,5 milhões, com recursos do governo federal.

O projeto representará um aumento de 6,9% no volume de esgoto tratado na cidade, passando dos atuais 61% para 67,9%. Especificamente em Jundiapeba e Nova Jundiapeba, o índice será superior a 90%, tanto na coleta quanto no tratamento. A previsão é concluir os trabalhos em 2021. Serão atendidas 26 ruas e 8 mil moradores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *