Prefeitura retoma obras de macrodrenagem no Córrego Afonso XIII em Tupã

Trabalhos vão melhorar escoamento da água, minimizando problemas de inundações e erosão.

Uma das principais obras de infraestrutura do município foi retomada pela Prefeitura de Tupã. A macrodrenagem ficou parada por quase 10 anos e a interrupção da obra provocou vários transtornos à população tupãense, que nos últimos anos vem sofrendo com os problemas causados pela ineficiência do sistema de drenagem, como alagamentos e inundações.

Segundo o secretário municipal de Planejamento, Obras e Trânsito, Valentim César Bigeschi, os serviços recomeçaram com trabalhos preliminares para drenagem urbana no braço direito do córrego Afonso XIII, localizado nas proximidades da Vila Marajoara.

“As equipes estão realizando as interligações de rede com as galerias pluviais no local. Além disso, também foram iniciados os serviços de limpeza no piscinão e a preparação para a execução do canal de fundo”, disse.

Valentim esclareceu que essa é apenas a primeira etapa do projeto, e que na sequência serão necessárias à execução de mais serviços para formação de mais galerias pluviais e reservatórios de detenção das águas.

“A frente dos trabalhos conta com três equipes, que foram divididas entre os serviços de execução das galerias nas vias urbanas, realização da canalização do braço esquerdo e direito do córrego Afonso XIII. O número ampliado de equipes vai possibilizar a agilização na realização da obra, entregando um serviço de qualidade em pouco tempo para a população”, explicou.

A obra de drenagem urbana custará aproximadamente R$ 12 milhões. De acordo com o secretário, a empresa vencedora da licitação e contratada pela Prefeitura de Tupã para a realização de todo o serviço, foi a Copel Construções Indústria e Comércio de Araçatuba.

“As obras no braço direito do córrego são constituídas quase que completamente por tubulações que abrangem a região da COPLAP, viaduto da Rua Lélio Piza, Vila Marajoara e outros setores. Os trabalhos também incluem a canalização da região do Supermercado Gaspar até a Avenida Tamoios. Já no braço esquerdo elas abrangem a Rua Brasil até a ponte da Av. Tamoios, sendo compostas pela canalização do córrego”, informou.

Valentim acrescentou que o projeto visa executar a infraestrutura da drenagem para suportar o escoamento das águas pluviais urbanas pelos dois “braços” do córrego Afonso XIII, contemplando também parte da obra de microdrenagem das vias do município. Ele salientou também que os trabalhos a serem realizados têm como objetivo captar e direcionar de forma adequada o escoamento da água pluvial, minimizando impactos ambientais, assoreamento e inundações.

“Além da microdrenagem, que é o sistema de captação, escoamento e destinação final das águas superficiais através de pequenas e médias galerias, a macrodrenagem inclui a realização de galerias de grande porte e canais pluviais”, destacou.

O prefeito Caio Aoqui, ressaltou que a retomada das obras vai melhorar o escoamento das águas pluviais, evitando qualquer transtorno em dias de chuva. “É inadmissível que a população sofra com as consequências de um sistema de drenagem inadequado. Sua importância se dá principalmente pela eliminação de criadouros de vetores de doenças na água e a minimização de qualquer problema de erosão, assoreamento ou inundações na zona urbana do município”, concluiu.

FONTE:GI


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *