Projeto da Sabesp utiliza de forma inédita MND a 25 m de profundidade

A Sabesp iniciou em Barueri (SP) os trabalhos para a perfuração do túnel sob o rio Tietê por onde vai passar a tubulação de grande porte que compõe as obras do Sistema Gênesis.

O Projeto Gênesis, orçado em mais de R$ 42 milhões, envolve a construção de uma adutora com 7.572 m de extensão, em aço de 36” de diâmetro, revestido interna e externamente, segundo especificações da ASTM 282, e da ANSI/AWW AC 222-99.

Parte desse traçado tem muitas travessias que serão executadas em MND (método não-destrutivo), mas é sob o rio Tietê que se encontra a mais complexa. Ali, na confluência das cidades de Barueri e Santana do Parnaíba, a adutora de aço cruzará por baixo do Rio Tiete num trajeto de 116 m.

Para essa travessia, foi necessária a construção de dois poços em cada margem do rio, para execução do MND tipo microtúnel em uma profundidade de 25 m. Os poços foram projetados com uma profundidade de 25,6 m e diâmetro de 8,5 m, no caso do poço de emboque, e 23,6 m de profundidade com 6,8 m de diâmetro no poço de saída.

Assim, a primeira etapa foi estudar as condições geológicas do local. Trata-se de uma rocha ígnea, metamórfica, conforme os relatórios da empresa de sondagem, que apurou ainda o grau de alteração e a abrasividade Cerchar, tendo avançado inclusive em determinar o desgaste que a rocha provocaria no ferramental de escavação da máquina.

Os resultados mostraram tratar-se de um gnaisse (metamórfico) com composição de quartzo feldspatico e predominantemente minerais micáceos. Também foi avaliado o grau de fraturamento, já que a decisão de se retirar o material escavado através da lama de perfuração, implica que esse fluido pode percolar por essas eventuais fraturas. Esse fraturamento apresentou-se obliquo ao bandamento da rocha. O grau de alteração variou de 1B a 3, onde 3 indica alteração muito fraca, com descoloração restrita às superfícies de descontinuidades principais (falhas e fraturas).

Mas alguém não familiarizado com MND poderia indagar porque tanta informação geológica?

Pois a resposta é evidente em se tratando de qualquer obra de escavação; mas se torna muito mais importante quando é executada por MND, ou seja, por instrumentos, onde não há espaço para surpresas.

Esse quadro fica mais complexo ainda a 25 m de profundidade e mais de 1,5 m de diâmetro. Por isso, como menciona o engenheiro Vlamir Petrelli da Construtora Passarelli, a empresa dedicou muito tempo e recursos no levantamento dos estudos preliminares e na obtenção das informações necessárias e suficientes com nível de precisão adequados ao caso.

No ano de 2018, a empresa adquiriu da Herrenknecht a máquina de perfuração MTBM para atender um contrato no Rio de Janeiro, que posteriormente seria deslocado para São Paulo para esta obra da Sabesp. As escavações foram iniciadas nos primeiros dias de fevereiro, e a foto na abertura dessa matéria mostra exatamente o momento em que o guindaste assentava a tuneladora no berço construído para esse fim, no fundo do poço de emboque.

Hoje, ao completar 86 anos de história e 44 anos de atuação em shield, a Construtora Passarelli se posiciona como líder nesse mercado, sendo a empresa mais antiga a executar obras em MND, sempre se atualizando para colocar à disposição do mercado do que há de mais avançado. A empresa possui frota de 14 máquinas para MND.

O superintendente da Sabesp, responsável pela Gestão de Empreendimentos da Metropolitana, o engenheiro Guilherme Machado Paixão, acompanhou o momento de descida da tuneladora por um dos túneis construídos, e destacou a seriedade com que a empresa vem tratando projetos dessa envergadura – e da preocupação em dar ao MND todo o suporte necessário, na obtenção das informações geológicas, para assegurar o sucesso do empreendimento.

Beneficiados

O Projeto Gênesis vai beneficiar diretamente moradores de Barueri, Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Aldeia da Serra e parte de Itapevi, levando mais água a uma população de cerca de 350 mil habitantes e contribuindo na flexibilização do abastecimento na Região Metropolitana de São Paulo.

Com investimentos de R$ 90 milhões, o Gênesis é formado por um centro de reservação e por mais de 14 mil metros de adutoras que interligarão os sistemas de abastecimento da região da estação de trem Antônio João, em Barueri, até a sede do município de Santana de Parnaíba, situadas na parte oeste da Grande São Paulo.

Na fase atual, estão sendo assentados 11 mil m de redes de grande porte, que entrarão em operação até 2020. A parte que compreende o centro de reservação está na fase de liberação da área para execução das obras. O empreendimento amplia a segurança hídrica para a população da Grande São Paulo.

 *Esta matéria foi elaborada pelo engenheiro Sergio Palazzo, da SAP Service e da ABRATT, com a colaboração do Superintendente da Sabesp, Guilherme Machado Paixão, dos engenheiros Vlamir Petrelli e Claudia Zanetin Moura, ambos da Construtora Passarelli, e da empresa GRP Geologia.

construtora passarelli
Eng. Wlamir Petrelli – Construtora Passarelli
Eng. Guilherme Machado Paixão. Superintendente da Sabesp, responsável pela Gestão de Empreendimentos da Metropolitana,

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *