Ações da Vale, Gerdau, Usiminas e Petrobras tem alta significativa e Bolsa passa dos 50 mil pontos

A euforia vista nos principais mercados acionários mundiais na sessão desta segunda-feira também foi relatada no Brasil. Os investidores seguiram otimistas com dados econômicos positivos vindos da China e dos Estados Unidos. Isso fez com que o índice acionário da BM&FBovespa ultrapassasse a marca dos 50 mil pontos, fato que não ocorria desde 26 de setembro de 2008. Ao final dos negócios, a bolsa brasileira marcou valorização de 6,59%, aos 50.404 pontos.

O giro financeiro ficou em R$ 7,22 bilhões. “Os números na China em relação a indústria trouxeram otimismo ao mercado acionário brasileiro, porque o crescimento da China favorece muito o Brasil, uma vez que o país é um grande exportador de matérias-primas”, declara Miguel Daoud, diretor da Global Financial Advisor. Hoje, a CLSA Asia-Pacific Markets divulgou que o setor manufatureiro chinês cresceu pela primeira vez em nove meses, ao passar de 44,8 pontos em março, para 50,1 pontos em abril.

Isso fez com que as ações preferenciais da mineradora brasileira Vale terminassem a sessão em alta de 8,75%, negociadas a R$ 33,15. Na mesma direção, os papéis preferenciais da Gerdau e da Usiminas valorizaram 8,91% e 6,18%, respectivamente. Já os papéis da Petrobras subiram 7,07% hoje. “Hoje foi um dia que o mercado enxergou lá na frente, com uma possível retomada do crescimento econômico.

Além disso, os dados dos Estados Unidos também influenciaram o movimento de alta”, acrescenta Daoud. Os investidores monitoraram que os gastos com construção norte-americanso avançaram 0,3% em março, somando US$ 969,7 bilhões. No mesmo sentido, o índice que mede o número de contratos de compra e venda de imóveis usados subu 3,2% em março quando comparado com fevereiro, mês no qual houve avanço de 2,1%. Ainda por lá, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Richmond, Jeffrey Lacker, considerou hoje “razoável” pensar que a recessão termine este ano nos Estados Unidos, mas advertiu que prossegue a queda dos investimentos no setor imobiliário.
“No entanto, isso não significa que a crise financeira mundial acabou e que os problemas deixaram de existir, pelo contrário. Os agentes devem tomar cuidado”, complementa o diretor da Global Financial Advisor. No âmbito corporativo brasileiro, o Bradesco reportou lucro líquido de R$ 1,723 bilhão no primeiro trimestre do ano. O resultado mostra uma queda de 9,6% em relação ao lucro líquido ajustado de R$ 1,907 bilhão na mesma época de 2008. No final do pregão, as ações preferenciais da instituição ganharam 4,83%.

Dentre os destaques positivos do Ibovespaficarão ALL Unit, que subiu 14,73%, a R$ 13; Cyrela Realt ON, que avançou 14%, a R$ 15,30; e Embraer ON que ganhou 12,88%, a R$ 9,99. No sentido oposto, Eletropaulo PNB caiu 1,28%, a R$ 27,75; e JBS ON recuou 0,81%, a R$ 6,11.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *