Vale vende pela metade do preço fatia da Usiminas.

Por algo em torno de R$ 600 milhões, a Vale vendeu para a siderúrgica japonesa Nippon Steel a fatia acionária que tinha na Usiminas. Na operação, realizada à véspera do carnaval, durante a divulgação do seu balanço financeiro de 2008, a mineradora aceitou a cifra corresponde a menos da metade do que esperava arrecadar quando anunciou a operação, em março de 2008.

Na época, a fatia da Vale correspondia a R$ 1,3 bilhão, mas após as turbulências que abalaram o sistema financeiro, as ações da siderúrgica brasileira despencaram na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), refletindo a perspectiva de uma menor demanda por aço no mundo este ano. Com a decisão de exercer seu direito de preferência no negócios, a Nippon, que já fazia parte do bloco de controle da Usiminas, elevou sua participação acionária de 23,3% para 29,2%.

Em maio, quando divulgou oficialmente o interesse de sair da Usiminas, o presidente da Vale, Roger Agnelli, alegou “divergências estratégias” e citou como exemplo a compra de mineradoras pela Usiminas, como a J. Mendes. “Achamos um erro estratégico você desviar o foco do negócio, sendo que nunca faltou minério para a Usiminas”, disse.

Para Agnelli, a Usiminas deveria ser o “cavalo branco” do crescimento da siderurgia brasileira, mas, optou por investir na verticalização do setor, com a aquisição de mineradoras Essa é a segunda vez em pouco mais de dois anos que a Nippon Steel faz movimentos para fortalecer sua posição e deter maior fatia de participação acionária na Usiminas.

A companhia japonesa informou que a compra visa atender melhor a demanda dos clientes na América do Sul. Segundo analistas financeiros, a operação é positiva para a siderurgia nacional. Isto porque, a Nippon é uma parceira de longa data da Usiminas e sempre deu importantes contribuições no desenvolvimento de tecnologias e produtos de melhor qualidade.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *