Categorias

27 de fevereiro de 2021

Plataforma de informação sobre Infraestrutura, Construção Industrial e Edificações

Acordo entre Método e CH2M Hill visa atuação na área de óleo e gás

2 min read
Acordo entre Método e CH2M Hill visa atuação na área de óleo e gás

A Método Engenharia fechou acordo com a norte-americana CH2M Hill para ampliar seu portfólio de serviços no setor de infraestrutura e indústria de base, com destaque para óleo e gás.

O acordo, segundo a empresa brasileira, representa um importante diferencial para o mercado, somando inteligência e expertise para concepção e execução de projetos de engenharia dentro da modalidade Engineering, Procurement and Construction (EPC), com engenharia de classe mundial e procurement global.

O presidente do conselho de administração da Método, Antonio Boralli, destaca que "o objetivo é fortalecer o elo de engenharia e promover capacitação para o atendimento, de ponta a ponta, da demanda crescente de empreendimentos nesta área, regidos por contratos desta natureza".

Como incentivo para a concretização do acordo, o empresário citou as expectativas do mercado sobre o volume de investimentos que serão destinados ao longo dos próximos anos na área de infraestrutura e indústria de base, especialmente no setor de óleo e gás. "Nossa parceria com a CH2M Hill é bastante ampla, porém o foco será realmente o mercado brasileiro, dada sua enorme capacidade."

O acordo permitirá a montagem de equipes multidisciplinares respeitando as características de cada projeto, a partir da seleção dos melhores especialistas da Método, da Potencial Engenharia (controlada da Método, especializada em construção industrial e em montagem eletromecânica e manutenção industrial) e da CH2M Hill.

"Estamos incorporando ao nosso portfólio a inteligência global e a atualização de tecnologias para as soluções técnicas em projetos de engenharia que o Brasil demandará nos próximos anos, especialmente diante da necessidade de ampliação de seu parque industrial e de infraestrutura", explica Hugo Rosa, presidente da Método e do Conselho da Potencial. "Não haverá uma forma única de atuação. Podemos estabelecer novas associações, joint ventures, formar consórcios ou até mesmo a subcontratação por tempo limitado. Tudo dependerá da necessidade e das características de cada projeto", explica Hugo Rosa.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *