Analistas destrincham últimos dados de produção da Petrobras

Na última terça-feira (17), a Petrobras ( PETR3 , PETR4 ) divulgou os dados sobre a produção de petróleo e gás natural referentes ao mês de fevereiro, com um novo recorde de produção no Brasil (1,94 milhão de barris por dia).

Obviamente, o novo recorde estabelece uma notícia positiva, conforme afirmam os analistas da Ágora Corretora, em relatório. No entanto, os números da estatal vieram, em geral, aquém das expectativas dos analistas da Ativa Corretora e do banco norte-americano Citigroup, que revelam suas perspectivas para a petrolífera.

Avaliando os números

Pelo terceiro mês consecutivo, o volume extraído de campos instalados no Brasil apresentou crescimento em comparação mensal, ressalta a equipe do Banco do Brasil, em virtude do aumento de extração proporcionado pelas plataformas P-51 e P-54, que devem manter o ritmo de expansão ao longo do ano, preveem os analistas do Citi.

No último mês, o principal destaque ficou para a produção internacional de petróleo e gás, resultado do bom desempenho dos campos localizados na Nigéria, amplamente elogiados pelos analistas do Banco do Brasil, e da maior produção de gás na Argentina, que garantiu um salto de 7% na comparação com janeiro.

Mesmo com os avanços, a produção de petróleo somada ficou em linha com as expectativas do banco norte-americano, ao passo que a produção de gás mais uma vez esteve abaixo da meta do Citi, devido às flutuações na demanda do mercado.

Em meio às comparações, os analistas da Ativa verificaram uma desaceleração do crescimento da produção doméstica em fevereiro, de 2,5% para 0,9%. Para a equipe, os números da Petrobras terão impacto neutro sobre as ações.

Expectativas

Os analistas do Banco do Brasil esperam que haja uma manutenção nos níveis produzidos pela Petrobras nos próximos meses, mas não se esquecem que há diversos projetos de novas plataformas a serem lançados, o que deve impulsionar a extração de petróleo e gás ao longo deste ano.

No começo do ano, a estatal formou um relatório estratégico estabelecendo como meta a produção de 2,05 milhões de barris diários de petróleo em 2009, previsão acima das perspectivas do Citi (2,03 milhões de barris por dia) e praticamente inviável na visão da Ativa.

Contudo, as previsões de novas descobertas e os projetos das plataformas P-53, P-51 e FPSO Cidade de Niterói, podem garantir a meta pré-estabelecida pela Petrobras, ressalta o Banco do Brasil, somado aos novos sistemas de produção a serem inaugurados, lembram os analistas da Ativa.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *