Bolognesi ganha 2 anos para reestruturar termelétricas a GNL

A Aneel adiou para janeiro de 2021 a operação das usinas a GNL de Rio Grande (RS), e Nova Tempo (PE), atendendo ao pleito do grupo Bolognesi, que somam cerca de 2.500 MW. Na época do leilão A-5 de 2014, analistas alertavam o risco de concentrar o elevado volume de energia em dois projetos complexos, com unidades de regaseificação de GNL, nas mãos de empresa novata na atividade. A Bolognesi busca investidores para estruturar o funding das termelétricas.

Fonte: Redação OE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *