Em constante evolução

A Hochtief do Brasil está construindo os novos complexos administrativos da Petrobras em Imboassica e Imbetiba. São as primeiras obras que a construtora realiza em Macaé, no Rio de Janeiro. As obras começaram a ser executadas em agosto de 2005 e a expectativa, segundo o diretor-presidente da Hochtief no País, André Glogowsky, é de que sejam finalizadas até setembro deste ano. O prédio administrativo de Imbetiba é composto por um subsolo, um pavimento térreo e seis pavimentos-tipo, uma subestação com 400 m² e a ampliação da estação de tratamento de esgoto. Já o de Imboassica tem um pavimento térreo e seis pavimentos-tipo, uma subestação com 600 m², restaurante e posto médico. As duas obras dos complexos administrativos da Petrobras ocupam uma área construída de 50 mil metros quadrados e registram a contratação, no pico das obras, de cerca de 700 trabalhadores. “Elas agregam o que a Hochtief sabe fazer de melhor: são prédios que têm sustentabilidade, todos os sistemas acústicos e térmicos são de excelente qualidade, oferecendo segurança e conforto para os funcionários. Arquitetonicamente, apresentam um vão central aberto para permitir bastante iluminação e uma área de fachada muito grande”, destaca Glogowsky. Os trabalhos estão em fase de acabamento e, segundo o diretor-presidente da Hochtief, um dos grandes diferenciais é justamente conseguir se fazer um planejamento levando em conta a importância que a Petrobras dá ao meio ambiente, à segurança e à qualidade. “Realmente, temos de fazer um planejamento diário de impactos, de segurança. Por causa de nosso trabalho com a companhia, nos certificamos com a ISO 14.000”, afirma Glogowsky. Ele também ressalta que, mesmo com a experiência mundial da Hochtief, um dos maiores aprendizados deste trabalhos tem sido a constante evolução exigida pela Petrobras como cliente. “Conseguimos uma nota muito boa da Petrobras, que foi 9,7, por termos trabalhado mais de um milhão de horas sem acidente”, conta. Para o diretor, trabalhar para uma companhia como a Petrobras resulta em maior amadurecimento para o fornecedor, que deve sempre estar atento ao que de melhor pode fazer. “Antes de iniciarmos o projeto, há todo um estudo, análise e compatibilização. Vemos todas as interferências e possibilidades de problemas para, quando começar a obra, já termos esse problema resolvido”, diz. Na lista das 13 maiores construtoras mundiais, a Hochtief tem US$ 32 bilhões de obras em construção. O Grupo Hochtief tem sede na Alemanha. Glogowsky contabiliza as construções de mais de 70 prédios e escritórios no Brasil, entre eles os edifícios do Bank Boston e da Petrobras, este na avenida Paulista, para citar alguns. “Mas ter como cliente a Petrobras é um motivo de orgulho porque essa empresa não pára e ela insere essa cultura em seus fornecedores. Fazemos cursos, palestras, participamos de prêmios, cadastramos fornecedores para as obras. Estamos em constante evolução para atendê-la”, observa o diretor da Hochtief.
Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *