Investimentos em infraestrutura levam R$28 bilhões ao Rio de Janeiro

Diante das oportunidades do setor, fornecedores de infraestrutura estarão reunidos no Estado de 16 a 18 de novembro

O Rio de Janeiro está vivendo um momento de efervescência econômica. Os investimentos em infraestrutura anunciados no Estado têm atraído cada vez mais empresas de todo o Brasil e até do exterior. De acordo com o estudo Decisão Rio, realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), até 2012 a previsão é que R$ 28,6 bilhões sejam investidos em infraestrutura no Estado, considerando os projetos iniciados em 2010. Visando esse mercado, fornecedores especializados em grandes obras estiveram na Rio Infra (Feira de Produtos e Serviços para Obras de Infraestrutura),único evento que reúne toda a cadeia de obras pesadas no estado, onde são esperados mais de R$ 55 milhões em geração de negócios, valor atingido na última edição.

Muitos motivos explicam o fato de o estado estar no foco do desenvolvimento econômico brasileiro. Primeiramente, devido à sua localização, o Sudeste, que concentra cerca de 2/3 do Produto Interno Bruto (PIB) do País. O PIB fluminense vem crescendo a taxas superiores às do Brasil, alcançando a participação de 11,5% do PIB nacional em 2006. O nível de escolaridade da mão-de-obra fluminense é o mais elevado entre todos os Estados: 8,7% da população economicamente ativa, calculada em 7,6 milhões de pessoas, têm 15 anos ou mais de estudo.

É de olho nessas tendências que cada vez mais empresas escolhem o Estado para alocar seus investimentos. Várias obras que já estão em processo estão demandando fornecedores especializados, aquecendo assim os negócios de outras empresas do setor. É uma cadeia de crescimento. Entre os principais empreendimentos em curso no Rio de Janeiro estão a construção do Porto do Açu, Arco Metropolitano, Transcarioca, Linha 4 do metrô, reforma do Maracanã e revitalização do Porto do Rio de Janeiro (Porto Maravilha), além dos investimentos decorrentes da exploração do pré-sal.

Uma das empresas atraídas pelas oportunidades no Estado é a carioca WRO, atuante no segmento de construção civil e locações de geradores de energia. A empresa está participando dos estudos de custo para viabilidade da privatização e concessão do Porto Maravilha e negociando contratos de manutenção e operação de sistemas de iluminação pública da área. No Rio de Janeiro, a companhia também participa de importantes obras, como a Base Naval de Submarinos – maior obra da Odebrecht no Estado hoje; Modernização do Hospital Pedro Segundo, em Santa Cruz; Porto Maravilha; e o novo Centro Integrado de Comando e Controle do Governo do Estado.

Para Liliane Bortoluci, diretora da Reed Exhibitions Alcantara Machado, que organiza o evento em parceria com a Fagga | GL exhibitions, a aposta no RJ vem ao encontro das necessidades do mercado. “O Rio de Janeiro precisa de uma melhor infraestrutura, pois vai abrigar uma série de grandes eventos. A cidade ainda carece de investimentos em diversos setores e para que a expansão seja feita de forma correta é necessária uma força conjunta entre Estado, empreendedores e investidores. O objetivo da Rio Infra é conectar as empresas, ajudar a estabelecer parcerias e sinalizar as melhores oportunidades de investimentos” explica.

Outra grande obra em execução no Rio, que deve atrair investimentos de R$ 1,8 bilhão até 2013, é o Complexo Portuário do Açu, obra a qual participa a empresa Meggadig, através do fornecimento de máquinas, venda direta e manutenção a parceiros. Especializada em máquinas de construção, terraplanagem e equipamentos para manutenção urbana, a empresa também fornece para obras como o Arco Metropolitano, Maracanã, Transcarioca, Porto Maravilha, Comperj, entre outras. “Nos próximos anos, o Rio de Janeiro será o maior canteiro de obras do Brasil. A meta da Meggadig é chegar ao primeiro lugar entre os importadores de máquinas pesadas nacionais. Então, para nós, além de ser um privilégio, é uma grande oportunidade apoiar o Estado neste projeto de crescimento”, declara Andre Vieira, diretor comercial da companhia.

No Estado, o Leste fluminense é a região que deve receber mais investimentos nos próximos dois anos, seguido pelo Norte, Sul e, por fim, o Município do Rio de Janeiro, que receberá 4,2% do total previsto. Um dos projetos importantes da cidade é o Programa Asfalto Liso, cuja meta é reestruturar 17,5% da malha pavimentada do município do Rio de Janeiro. Entre os envolvidos no projeto está a empresa Ciber, atuante no setor de equipamentos para construção rodoviária. Para suprir as necessidades do Programa Asfalto Liso, a empresa colocou em ação uma usina com capacidade de produção de 120 t/h de massa asfáltica.

Outra companhia que está se beneficiando dos projetos na cidade é a Multcaixas, fabricante de reservatórios e tanques metálicos. Na capital, a empresa está fornecendo reservatórios de armazenamento de água para o Consórcio Porto Rio e para as obras de extensão do metrô. As construções na cidade atraíram também a MachBert, que está participando dos projetos do Sambódramo e Maracanã por meio do fornecimento de equipamentos compactos para obras urbanas, racionalização em demolições e desmontes de rocha. Para Rui Máximo, diretor comercial da MachBert, a realização de eventos como a Rio Infra é importante para dar aos clientes a oportunidade de conhecer as novidades do mercado e suas aplicações. “O estreitamento do contato com usuários de todos os níveis é fundamental para analisar e oferecer soluções em equipamentos para todos os tipos possíveis de dificuldades de produção”, comenta o executivo.

 

Além das empresas nacionais, grandes companhias estrangeiras também estão sendo atraídas pelo aquecimento no mercado do Rio de Janeiro. É o exemplo da MB S.y.A, empresa Italiana referência mundial na produção de caçambas trituradoras, que está fornecendo suas máquinas a grandes construtoras civis do Rio de Janeiro. Uma das principais obras em que participa no Estado é a reforma do estádio do Maracanã. “O mercado brasileiro representa para nós um desafio importantíssimo. A MB está investindo muito em termos de pessoal e de recursos, pois acredita que poderá contribuir de maneira significativa no crescimento desse mercado, consolidando a sua política e identidade comercial nesse promissor mercado emergente”, afirma Carlotta Mettifogo, Area Manager da MB S.y.A.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *