Novo cebolão e novas tarifas na rodovia Castello Branco

Principal obra da ViaOeste em 2009, o Projeto Cebolão envolve recursos de R$ 242 milhões, devendo atingir a 2,5 milhões de pessoas que mensalmente passam pela rodovia Castello Branco. A obra aumentará a capacidade do tráfego na chegada a São Paulo e também a fluidez no trevo Jandira/Itapevi (km 32). Do montante aplicado, R$ 179 milhões são destinados às obras do Cebolão (R$ 133 milhões) e Trevo de Jandira (R$ 46 milhões), além de R$ 63 milhões aplicados na reconfiguração das praças de pedágio do km 18 e km 20.
Fazem parte do projeto uma nova ponte no Complexo do Cebolão, que dará acesso à pista local da Marginal Tietê, a recuperação de parte da Marginal do Tietê e a construção de um trevo para Jandira, Itapevi e Aldeia da Serra, além de uma alteração na cobrança de pedágio na Castello Branco, que reduzirá os valores da tarifa.
O projeto apresenta uma nova configuração para os pedágios, permitindo a redução de tarifas em até 57% o valor do percurso. As praças de pedágio localizadas no km 18 (sentido Interior) e no km 20 (sentido Capital) terão sua tarifa reduzida de R$ 6,50 para R$ 2,80. Também haverá redução da tarifa da praça do km 33, em Itapevi (sentido Interior), de R$ 11,20 para R$ 5,60.
As fundações, os pilares e as vigas da nova ponte já estão 100% concluídos. As duas pontes antigas do Complexo estão sendo inteiramente recuperadas, incluindo estrutura, pavimento e pintura. As melhorias do viário também já tiveram início em todas as pistas do Complexo – marginais da Castello, Tietê e Pinheiros -, com a aplicação do novo pavimento. Faz parte desta etapa também o alargamento das marginais da Castello para comportar o novo fluxo de veículos.
No Trevo de Jandira-Itapevi-Aldeia, as obras estão em etapas diferentes. A faixa adicional da Castello neste trecho, por exemplo, já está pronta. Também estão adiantadas os serviços de drenagem, os aterros e a terraplenagem. Outra etapa em evolução é a construção dos três viadutos que comporão o novo trevo, que está na fase de fundação e execução dos pilares de sustentação. As frentes de obra executam ainda muros de contenção e o alargamento da via sob a rodovia Castello Branco.
Foram iniciadas as obras de ampliação dos pedágios das marginais para as pistas expressas da Castello, no km 18 e 20. Nestes locais, já foram executadas as obras de nivelamento entre as pistas expressa e marginal. Agora começam os trabalhos de escavação das galerias, que integrarão toda a estrutura que fica no subterrâneo da rodovia.
A concessionária liberou em junho, o tráfego de veículos no primeiro trecho da nova pista da marginal da Raposo Tavares, entre os km 99 e 100, região de Sorocaba. Este trecho, o mais movimentado da rodovia, recebe diariamente 25 mil veículos por sentido. O projeto completo das marginais, que deverá ser concluído até o final 2010, contempla a implantação de vias nos dois sentidos da rodovia, entre os km 95 e 105 devendo desviar o tráfego rodoviário do local ampliando o conforto e fluidez aos motoristas da região de Sorocaba.

Obras e ações de segurança na dutra

A NovaDutra vem mantendo seu cronograma de manutenção de obras de melhorias além de investir em ações de segurança junto aos usuários. Neste ano, entre outras obras, a empresa concluiu a recuperação do pavimento da pista de descida da Serra das Araras (sentido SP-Rio), entre os quilômetros 227 e 291, em Piraí (RJ), em que foi adotada uma nova tecnologia no pavimento o Gap Graded. Esta nova tecnologia permite o aumento do grau de aderência dos pneus em curvas, principalmente em dias de chuvas e também oferecer maior conforto, diminuindo o ruído. Dentre as obras de arte, a empresa também construiu o viaduto da Posse, no km 179,7 da via Dutra, altura de Nova Iguaçu (RJ), uma solicitação da comunidade local para melhorar o fluxo na cidade. Destacam-se atualmente as ações de segurança da via, que inclui maior fiscalização assim como promover campanhas educativas de segurança, ou de destinação do lixo, por exemplo.
A empresa tem ampliado a campanha de segurança nas Estradas, mensagens fixadas em pontos estratégicos direcionada aos motoristas, assim como intensificação da fiscalização de velocidade realizada pela Polícia Federal com radares móveis e 28 radares móveis. Os cuidados são redobrados nas áreas atualmente em manutenção, que exigem interdição permanente de faixas de rolamento ou acostamento.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *