Flávia Ferreira escolheu a profissão por influência familiar

“A minha história na área da soldagem muito tem a ver com influências familiares. Aos meus 17 anos, estava a procurar um curso no SENAI que fosse do meu agrado. Vendo as ofertas, nenhum me interessava e então, meu irmão, já formado na área de soldagem, me indicou o curso.”

“Sem saber especificamente o que era e como era eu me inscrevi, participei do processo seletivo e tão logo saiu o resultado – aprovada. O curso seguiu com uma proposta de 6 meses, sendo 3 meses de conteúdo teórico e 3 meses de conteúdo prático e, para esta turma, já havia a promessa de que sairia um competidor (a) para a Olimpíada do Conhecimento na ocupação soldagem.

Foram exatos 6 meses de paixão e dedicação. O que antes pouco enchia meus olhos, os fez brilhar, e esse brilho se estendeu à participação nesta competição, onde, dentre 22 candidatos, apenas 6 seriam selecionados, dos 6, eu estava lá, não apenas representando a modalidade ou a instituição de ensino, mas a força e o poder da mulher no mercado industrial.

Seguindo, dos 6 competidores, apenas 3 continuariam, e então, eu não pude continuar, por estava na quarta colocação. Passados 2 meses, eu recebi o convite para atuar como instrutora na área de soldagem. Tão logo me prontifiquei e ainda hoje, continuo a fazer profissionais de qualidade e competência, mas acima de tudo, felizes no que escolheram ser, assim como eu”.

 

Flávia Ferreira, 26 anos – Soldadora Autônoma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *