Tecnologia BIM é usada na construção de estações do metrô de SP

O consórcio Heleno Fonseca / TIISA utilizou a tecnologia BIM (Building Information Modeling) como apoio na realização dos estudos e planejamento das obras das estações Eucaliptos e Moema, ambas parte da expansão da linha 5 (lilás) do metrô de São Paulo.

Considerado como um dos benefícios da abordagem BIM, a análise 4D, também conhecida como modelagem BIM 4D, se apresenta como uma nova opção de ferramenta de auxílio a tomada de decisão na gestão de sistemas construtivos.

Para a execução dos trabalhos foi utilizado o software Vectorworks para a geração dos modelos BIM das estações e o software Synchro para a associação dos elementos do modelo com as atividades do cronograma, assim como a realização da análise 4D dos modelos.

De acordo com o consórcio, os principais benefícios da análise 4D das estações foram a maior velocidade e precisão na elaboração de estudos de cronograma; o uso de filmes e imagens na divulgação da programação dos serviços às equipes de produção, segurança e qualidade da obra, com grande clareza e assertividade e a maior versatilidade e rapidez na tomada de decisão nas análises de cenários. O consórcio cita ainda como vantagem a apresentação da obra para os stakeholders externos através de filmes de curta duração e a visualização das estruturas e equipamentos de apoio e canteiro, nas diferentes fases do projeto.

A geração do modelo BIM no software Vectorworks foi realizada a partir das plantas e cortes existentes, o software também foi utilizado para levantamentos quantitativos precisos (volumes e áreas) dos diferentes elementos construtivos do modelo 3D.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *