Votorantim Cimentos confirma expansão da capacidade de produção para atender demanda da construção

Anunciado em duas ondas – a primeira em agosto de 2007 e a segunda em junho de 2008 – o plano de expansão totaliza R$ 3,2 bilhões em investimentos para aumento de 60% na capacidade de produção no País, que saltará das atuais 25 milhões para 39 milhões de toneladas/ano até 2011, quando todas as novas unidades estiverem em operação plena. O impacto desse investimento engloba todas as regiões brasileiras e atende à crescente tendência de descentralização e interiorização do consumo de cimento no País. “Desde 2005, a Votorantim Cimentos registrou um crescimento acumulado da ordem de 40% nas vendas de cimento, que aumentaram de 14 milhões para aproximadamente 20 milhões de toneladas/ano”, ressalta o executivo.

Desde seu lançamento, o plano de expansão já contemplou as modernizações das fábricas de Santa Helena/SP, Itaú de Minas/MG e Sobradinho/DF, as reativações das unidades de Pinheiro Machado/RS, Cocalzinho/GO e Poty Paulista/PE, as inaugurações das moagens de Barcarena/PA, Pecém/CE e Aratu/BA – esta última prevista para o mês de novembro. Além disso, estão em ritmo acelerado as obras de construção das fábricas de Xambioá/TO, Vidal Ramos/SC, Porto Velho/RO, Baraúna/RN e Sepetiba/RJ, além de uma nova linha de produção em Salto/SP. Os investimentos ainda incluirão uma moagem em Imbituba/SC e novas linhas de produção em Rio Branco do Sul/PR, Sobradinho/DF e Nobres/MT (que também receberá um forno de pozolana, a ser inaugurado em julho de 2009).

Além dos investimentos em curso, a estratégia da empresa contempla as seguintes iniciativas: (1) suspensão das exportações de cimento realizadas pela fábrica de Laranjeiras/SE, de modo a priorizar o abastecimento nacional; (2) readequação da sua logística operacional, adotando operações de contingência transportando cimento a longas distâncias para suprir regiões com maior necessidade do produto; (3) importação em caráter temporário de cimento, até que as novas unidades atendam todas as demandas; e (4) estabelecer neste momento preço único referencial do cimento ensacado em R$ 14,00 em todas as fábricas integradas do País (aquelas que possuem forno para a produção do clínquer, matéria-prima básica para a produção do cimento). Este preço é válido para saco de 50 kg do cimento tipo CP-II na porta da fábrica (preço FOB), respeitando-se os lotes mínimos de compra e lotes de carregamento de cada estabelecimento.

A este preço devem ser acrescidos os custos de frete e a margem dos varejistas para se chegar ao preço final de balcão. Esta medida visa facilitar o acompanhamento de preços tanto pelas revendas de materiais de construção quanto pelos consumidores. Nos próximos dias, um hotsite criado especialmente pela Votorantim Cimentos será lançado na internet informando o preço estimado de cimento em diversas cidades do País.

Região Sudeste
Na região Sudeste, a expansão foi iniciada pelas modernizações das fábricas de Santa Helena/SP e Itaú de Minas/MG, além de englobar a construção de uma nova moagem em Sepetiba/RJ (com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas/ano e previsão de iniciar operação em julho de 2009) e uma nova linha de produção na unidade de Salto/SP, que aumentará a capacidade desta fábrica em 1,7 milhão de toneladas/ano a partir do primeiro semestre de 2010. Ambas as obras já estão em execução.

Região Sul
Na região Sul, a expansão foi iniciada com a reativação da fábrica de Pinheiro Machado/RS, com capacidade de produção de 400 mil toneladas/ano. Já foi iniciada a construção de uma fábrica integrada em Vidal Ramos/SC, com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas/ano e previsão de operação em 2010 integrada a uma moagem em Imbituba, no litoral de Santa Catarina, com capacidade para produzir 300 mil toneladas/ano. A região também contará com uma nova linha de produção na fábrica de Rio Branco do Sul/PR, que acrescentará 2 milhões de toneladas/ano de cimento a partir do segundo semestre de 2011.

Região Nordeste
Na região Nordeste, a expansão foi iniciada com a reativação da unidade Poty Paulista/PE e a construção de duas moagens em Pecém/CE e Aratu/BA. Enquanto a primeira já está operando com capacidade de produzir 220 mil toneladas/ano, a segunda inicia a operação no próximo mês de novembro, com capacidade de fabricar 320 mil toneladas/ano de cimento. Além disso, já iniciou a construção de uma fábrica integrada em Baraúna/RN, com capacidade instalada de 1,5 milhão de toneladas/ano, que entrará em operação em setembro de 2009 (primeira fase).

Região Centro Norte
Na regional Centro-Norte (que engloba as regiões Centro-Oeste e Norte), além da reativação da fábrica de Cocalzinho/GO, já em operação desde abril passado com 300 mil toneladas/ano de capacidade de produção, a expansão foi iniciada com a construção de uma moagem em Barcarena/PA e duas fábricas integradas em Porto Velho/RO e Xambioá/TO, que entram em operação a partir do segundo semestre de 2009. Também está prevista a construção de um forno de pozolana em Nobres/MT (com capacidade de 330 mil toneladas/ano e previsão de operação em julho de 2009), novas linhas de produção nas fábricas de Nobres/MT, que acrescentará 1 milhão de toneladas/ano de produção de cimento a partir do segundo semestre de 2010, e de Sobradinho/DF, que será entregue no primeiro semestre de 2011 e terá capacidade instalada de 2 milhões de toneladas/ano.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *