BNDES investirá R$ 300 milhões no Piauí

Durante a reunião com os governadores do Nordeste na cidade de Natal (RN), o presidente do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Luciano Coutinho, destacou a importância da atuação do banco nos referidos estados através da palestra “Desenvolvimento regional e o apoio aos estados”.

De acordo com Luciano Coutinho a estratégia do BNDES para o Nordeste é apoiar os investimentos em infraestrutura e os grandes eixos que já estão no programa do Governo Federal como a Transnordestina, os portos, a transposição do rio São Francisco. Ele reforça que é preciso “…não apenas concretizar esses investimentos e sim extrair deles todos os impactos positivos que dele podem decorrer”.

Além desses investimentos, de acordo com Coutinho, o BNDES tem muitos investimentos industriais importantes, além dos diversos investimentos em várias cadeias de serviços importantes como o turismo, por exemplo. “Então o BNES é um suporte importante da ação dos governos estaduais e do governo federal financiando essa estratégia de desenvolvimento. E eu queria destacar a importância das rodovias e da malha viária de rodovias que integram regiões excluídas dos grandes eixos. E este é um dos principais motivos pelo qual o banco apoiou com muita alegria esse projeto do Piauí, recém assinado agora nessa reunião de governadores”, diz Coutinho.

Essa operação de crédito para infraestrutura assinada entre o governo do Piauí e o banco foi no valor de R$ 300 milhões e vai ser aplicada na melhoria das estradas do Estado, interligando as diferentes regiões. Como bem assinala o governador Wellington Dias. “É um volume de investimento que vai gerar emprego, gerar renda, vai movimentar a economia do Estado no momento que precisamos muito, já que o mundo passa por um momento de crise financeira, e ao mesmo tempo vai num curto, médio e longo prazo nos permitir atrair fortes investimentos e fazer crescer nosso Estado”.

Ainda no que se refere ao Piauí, o presidente do BNDES destacou a importância não só dessa operação de crédito, mas de outras em andamento para o desenvolvimento do Estado. “A primeira, como já definida, é para o desenvolvimento da malha viária do Piauí, que já vinha sendo discutida com o BNDES e já foi assinado nesse momento e vai desembolsar em curtíssimo prazo. Esses investimentos vão permitir integração da economia das várias regiões aos grandes eixos viários”.

Ele destaca, anda, que há operação de crédito em andamento que diz respeito a empréstimo emergencial. Nesse aspecto, de acordo com o presidente, trata-se de uma compensação financeira aos Estados ante a situação de queda de receita tributária provocada pela crise mundial. “O empréstimo emergencial apenas compensa a redução de receita tributária que foi provocada pela crise, pelas isenções que o próprio governo federal deu no IPI (Imposto sobre Produto Industrializado), por exemplo, que se manifestou numa queda de fundo de participação dos estados (FPE)”.

Coutinho explica que esse empréstimo é para suprir uma lacuna de recursos produzida pela crise e pela própria política do governo. “Então nós estamos suprindo esse recurso para ajudar os estados a manter os seus planos de investimento para que aquilo que venha em curso, programas de investimentos com recursos próprios ou com recursos federais com contrapartida dos estados não tenham solução de continuidade. Esse é o empréstimo de emergência que vai ser desembolsado em curto prazo”.

O presidente do BNDES finaliza dizendo que a decisão política de priorizar o Nordeste foi tomada e que o BNDES já está apoiando e está pronto para avançar. “É necessário acelerar para realizar ainda mais”.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *