Casa das Rosas terá obras de restauração em 2020

Projeto vai recuperar características originais do imóvel construído na década de 1920 e aprimorar funcionalidade

As obras do espaço instalado no casarão conhecido como um dos principais símbolos turísticos e de preservação da memória da capital paulista serão iniciadas no primeiro semestre e terão 80% de seu valor total custeado por recursos obtidos junto ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos do Ministério da Justiça.

O projeto de restauro foi inscrito e selecionado para receber o investimento, que devolve à sociedade valores arrecadados em decorrência de multas, acordos e condenações judiciais. Os outros 20% serão custeados pelo Governo do Estado. A obra tem custo total de R$ 4,2 milhões e previsão de realização em dois anos.

“Potencializar e fomentar recursos para a cultura por meio de parcerias como esta é uma das principais diretrizes do Governo do Estado de São Paulo. Com os recursos do Fundo de Defesa de Direitos Difusos será possível realizar uma reforma completa, interna e externamente, recuperando as características originais e preservando o imóvel, sem interrupção das atividades do museu”, afirma o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado, Sérgio Sá Leitão.

O projeto será executado pelo Departamento de Obras da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e tem como objetivos principais recuperar as características originais do imóvel construído na década de 1920 e aprimorar sua funcionalidade como espaço público de cultura.

“A crescente visitação e o restauro do museu são exemplos claros de que a parceria entre os governos e a sociedade civil só tendem a beneficiar a sociedade que pode ter acesso a serviços com alta qualidade, tanto do ponto de vista da programação quanto da preservação do espaço, afirma o diretor executivo da Poiesis, Clovis Carvalho.

Instalado no casarão conhecido como um dos principais símbolos turísticos e de preservação da memória da capital paulista, a Casa das Rosas completou 15 anos em dezembro, contabilizando cerca de 447.809 visitantes em 2019.

Durante o período de restauro, os objetos abrigados no museu, inclusive seu acervo museológico, serão devidamente acondicionados em reserva técnica, e o acervo bibliográfico Haroldo de Campos permanecerá preservado e à disposição dos pesquisadores em ambiente preparado para esse fim no edifício da Poiesis, localizado no Bom Retiro (Rua Lubavitch, nº 64), centro de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *