Categorias

28 de fevereiro de 2021

Plataforma de informação sobre Infraestrutura, Construção Industrial e Edificações

Concluída a revitalização do Lixão do Alemoa em Santos

3 min read
<p> Após 336 dias de operação e R$ 1,6 bilhão em investimentos, foi concluído o maior projeto de recuperação ambiental de área degradada da América Latina. Realizada no antigo Lixão da Alemoa, que vinha acarretando a contamina&c

Após 336 dias de operação e R$ 1,6 bilhão em investimentos, foi concluído o maior projeto de recuperação ambiental de área degradada da América Latina. Realizada no antigo Lixão da Alemoa, que vinha acarretando a contaminação do solo e água subterrâneas locais, a ação é condição fundamental para ampliação do Porto de Santos. Todo o gerenciamento foi realizado pela unidade de Engenharia e Consultoria do Grupo Essencis, com total apoio da área comercial e da unidade de São Paulo, que possibilitou o recebimento dos resíduos e a viabilização do projeto.

Dividido em três etapas – investigação ambiental, avaliação de risco e estudo de alternativas para remediação, recuperação e revitalização – o projeto implicou na retirada de mais de um milhão de toneladas de resíduos, totalizando 28.955 viagens para destinação final dos resíduos encontrados.

Segundo Giovanna Setti, superintendente da Essencis Engenharia e Consultoria e presidente da Aesas  – Associação Brasileira das Empresas de Consultoria Ambiental, “em janeiro de 2012, 95% da área já estava remediada e até o final do processo mais de 680 mil metros cúbicos de resíduos foram retirados, acabando assim com um processo de mais de 50 anos de contaminação local do solo e da água subterrânea”.

“O Grupo Essencis sempre estuda a melhor solução para o cliente. Participar deste projeto foi de suma importância para nós, pois sem dúvida o trabalho envolveu diversas áreas de empresa para que fosse possível tratar o que entendemos ser o maior projeto de investigação, remediação e destinação até o momento”, comenta Márcio Mecca, diretor comercial do Grupo Essencis.

Com a conclusão das atividades, a área de 342 mil metros quadrados agora está apta para a construção do novo terminal da Brasil Terminais Portuários (BTP) com capacidade para operar 1,1 milhão de contêineres e 1,2 milhão de toneladas de granéis líquidos por ano. Estima-se que, com a obra, a capacidade do terminal aumente em 60%, gerando 3 mil empregos diretos e 9 mil quando em operação.

Números do projeto
– Área total : 340.000 m2
– Volume de resíduos: ~ 680.000m3
– Investimentos (construção e recuperação): na ordem de R$ 1,6 bilhão
– Capacidade de armazenamento de líquidos: 1.200.000 litros / ano
– Capacidade de armazenagem de contêineres: 1.100.000 TEUS
– Área total construída: 440.000 m2
– Previsão de geração de empregos: 3.000 diretos durante as obras e 9.000 quando em operação.
– Resultados: 140 sondagens / 90 PM /  Ausência de risco à saúde humana
– Plumas na água subterrânea: benzeno, mercúrio, cloreto de vinila e chumbo

A expansão do Porto de Santos pela BTP
Controlada pela Europe Terminal, a Brasil Terminal Portuário (BTP) nasceu, em 2007, com o propósito de construir e operar um terminal de contêineres e granéis líquidos localizado na área do Porto Organizado de Santos. Para isso, investimentos na ordem de R$ 1,6 bilhão estão sendo feitos, dos quais R$ 300 milhões somente no tratamento ambiental da área. Estima-se que o terminal comece a operar em 2013.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *