Empresa vence licitação para obras da 2ª fase do VLT, que atenderá 35 mil pessoas por dia

Segunda fase ligará a estação Conselheiro Nébias ao Valongo, com obras que devem durar 30 meses a partir da assinatura do contrato.

O Governo do Estado homologou a construtora Queiroz Galvão S.A. como vencedora da licitação de obras da segunda fase do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) da Baixada Santista, no litoral de São Paulo. A implantação dos trilhos começar no primeiro semestre deste ano. As obras devem ser concluídas em 30 meses após assinatura do contrato, que ainda não há data para ser realizada. O novo trecho do VLT deve transportar uma média diária de 35 mil passageiros por dia.

De acordo com a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), responsável pelo VLT, em dezembro, três empresas foram habilitadas para a fase final da licitação de obras da segunda fase do VLT. A Construtora Queiroz Galvão S.A ofereceu o menor preço para realizar a obra, cerca de R$ 217,7 milhões, uma diferença de – 27,42% do estimado pelo órgão paulista (R$ 300 milhões).

Em seguida, o Consórcio Conselheiro Nébias/Valongo (Constr.Norberto Odebrecht/OEC/Odebrecht Eng.) entrou com recurso contra a classificação que a colocou em terceiro lugar. A EMTU negou o recurso e a decisão ratificando o resultado foi confirmada nesta quarta-feira (15), no Diário Oficial do Estado. Com isso, o Governo do Estado homologou a construtora Queiroz Galvão S.A. como vencedora da licitação.

A Queiróz Galvão foi responsável pelas obras físicas dos 11,5 quilômetros da primeira fase do VLT, que liga o Terminal Barreiros, em São Vicente, à Estação Porto, em Santos. Segundo a EMTU, a assinatura do contrato e autorização de inícios das obras avançam após esgotados o período de análises legais.

2ª fase do VLT

Nesta nova fase, o modal ligará a estação Conselheiro Nébias ao Valongo, em Santos. Com extensão de 8 quilômetros, o trecho terá 14 estações e exigirá a desapropriações de 31 imóveis localizados no trajeto. O valor estimado para as desapropriações desse trecho é de aproximadamente R$ 19,3 milhões.

A segunda fase de ampliação do VLT é vista como estratégica pela Prefeitura de Santos a fim de revitalizar a região central da Cidade. Também para aumentar o volume de passageiros transportados. Atualmente, são mais de 30 mil usuários que utilizam o modal nos dias úteis entre São Vicente e Santos.

FONTE: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *