Categorias

27 de janeiro de 2021

Plataforma de informação sobre Infraestrutura, Construção Industrial e Edificações

Pesquisa Sinduscon/FGV aponta pessimismo do setor

2 min read
<p> A percepção dos empresários com relação ao desempenho atual de suas construtoras recuou</p> <p>  </p> <p>  </p>

A percepção dos empresários com relação ao desempenho atual de suas construtoras recuou 10,4% em agosto ante a pesquisa anterior e 18,8% em 12 meses. Isso é o que aponta a 60ª Sondagem Nacional da Indústria da Construção Civil, realizada pelo SindusCon-SP e pela FGV, com uma amostra de 187 empresários do setor em todo o País.

 

Entre os componentes do indicador de desempenho, o que apresentou pior resultado foi o de emprego. O saldo líquido de contratações das empresas no ano até agosto está quase 50% abaixo do verificado no ano passado. Isso reflete um cenário de atividade mais fraca – com sinais de final de um ciclo de produção.

 

A perspectiva de desempenho para os próximos meses acentuou a trajetória de declínio, com retração de 16% em relação à pesquisa anterior e de 26,6% em 12 meses. Pela primeira vez, desde 2009, o indicador de perspectivas de desempenho da empresa ficou abaixo do indicador de desempenho atual.

 

A avaliação dos empresários com relação aos custos setoriais subiu 4,5% na comparação com o trimestre anterior e 2,1% em 12 meses.

 

Sobre a condução da política econômica, as perspectivas apontaram quedas de 22,7% ante a sondagem anterior e 48,5% na comparação com 2013. Ao mesmo tempo, a perspectiva com relação ao crescimento econômico caiu 23,5% em relação ao trimestre anterior e recuou 37,1% em 12 meses, enquanto a perspectiva de inflação reduzida apresentou retração de 18% e 26,1%, respectivamente.

 

O indicador de dificuldades financeiras permaneceu alto, em 55,1, e crescendo na comparação com o ano passado, indicando um crédito mais caro e mais difícil para as empresas da construção.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DESEMPENHO E PERSPECTIVAS DAS EMPRESAS DA CONSTRUÇÃO1

 

Brasil

São Paulo

 

    Mês

Variação (%)

Mês

Variação (%)

 

Agosto

2014

Trimestre anterior

12 meses

 

Agosto

2014

Trimestre anterior

12 meses

Desempenho da empresa

40,0

-10,4%

-18,8%

 

39,4

-10,9%

-20,8%

Dificuldades financeiras

55,1

-1,8%

6,4%

 

55,1

-3,1%

6,2%

Perspectivas de desempenho

37,6

-16,0%

-26,6%

 

36,3

-17,2%

-28,6%

Perspectivas de evolução dos custos

50,3

4,5%

2,1%

 

50,9

5,3%

-0,3%

Condução da política econômica

15,6

-22,7%

-48,5%

 

15,7

-21,4%

-49,8%

Inflação reduzida

20,9

-18,0%

-26,1%

 

20,6

-22,9%

-25,4%

Crescimento econômico

17,5

-23,5%

-37,1%

 

17,5

-24,2%

-34,1%

                   

(1) Os dados apresentados na tabela estão dispostos numa escala que vai de “0” a “100”, tendo o valor “50” como centro. Isso quer dizer que valores abaixo de “50” podem ser interpretados como um desempenho, ou perspectiva, não favorável. No caso de dificuldades financeiras, no entanto, valores abaixo de “50” significam dificuldades menores.

Fonte: Sinduscon-SP/FGV Projetos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *