Porto do Rio terá R$ 210 mi para dragagem

O Porto do Rio de Janeiro começará a passar por obras de dragagem no início do próximo ano. A ordem de serviço (OS) para mobilização do equipamento, que permitirá o início das obras físicas, foi assinada no dia17/12 pelo ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho.  Com isso, começam as obras físicas no canal principal de acesso ao Porto do Rio. O investimento nessa nova fase será de R$ 204,876 milhões. O contrato tem duração de 20 meses.

 

Essa será a segunda fase do processo de dragagem do canal de acesso ao Porto do Rio, o segundo mais importante do País. A primeira foi iniciada em dezembro do ano passado, com a assinatura do contrato de dragagem entre a Secretaria de Portos (SEP) da Presidência da República e o Consórcio Van Oord/Boskalis, que venceu a licitação para a execução desse projeto. Ao longo desse ano, foram aplicados R$ 5,124 milhões no desenvolvimento dos Projetos Básico e Executivo, bem como nas medidas necessárias para o licenciamento ambiental da obra.

 

Ao final da segunda fase, o Porto do Rio poderá receber embarcações de carga geral com capacidade até 78% superior à atual, melhorando as condições para o comércio exterior. As obras serão para ampliação do canal de acesso, bacia de evolução e acesso aos berços de acostagem, conforme imagem no documento em anexo.

 

Ao fim da segunda fase, o Porto do Rio poderá receber navios de até 345 m de comprimento, 48 metros de boca e 13,5 m de calado. O porto estará apto a receber navios com capacidade de transportar até 8 mil contêineres (de 20 pés com cerca de 6 m de comprimento). Atualmente, aportam embarcações com capacidade para transportar até 4,5 mil contêineres de carga geral. O porto também poderá receber navios graneleiros de até 75 mil t de porte bruto.

 

O investimento público abre caminho para outras obras portuárias de R$ 1,5 bilhão. O Grupo Libra e Multiterminais já anunciaram investimentos de R$ 1,02 bilhão, incluindo a ampliação do cais de dois terminais, ambos para 800 m, com dois berços de 400 m cada um, já prevendo a atracação de navios de maior capacidade em um futuro próximo.

 

Há ainda previsão de licitação de arrendamento até o fim do ano de 2016 de quatro áreas no Porto do Rio de Janeiro, pedidos de prorrogação antecipada de contratos e de autorização para construção de Terminais de Uso Privado (TUP) em análise na SEP, entre os quais os feitos pela Triunfo Logística e Exxonmobil Química.

 

Além disso, haverá investimentos no fornecimento e na instalação de novos cabos submarinos e novos alimentadores de energia elétrica, incluindo a instalação do sistema de geração de energia em emergência, e em uma nova adutora de água potável no Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW), da Marinha do Brasil.

Fonte: Portal Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *