Santos Offshore assinala expectativa de crescimento

Na tarde desta terça-feira (16), diversas autoridades e especialistas do setor de petróleo e gás marcaram presença na cerimônia de abertura da Santos Offshore Oil & Gas Expo 2012, evento consolidado como o principal encontro de negócios para empresas que atuam neste segmento na Bacia de Santos.

A solenidade teve início com um pronunciamento do vice-presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Paulo Octavio Pereira de Almeida, empresa que assumiu a organização do evento. Ele lembrou que a Santos Offshore tem como objetivo impulsionar a cadeia produtiva de petróleo e gás da Baixada Santista e, assim, gerar negócios tanto para localmente quanto para o restante do estado de São Paulo e do Brasil.

José Ricardo Roriz Coelho, coordenador do Comitê da Cadeia Produtiva da Indústria de Petróleo e Gás da Fiesp (Competro), deu sequência à cerimônia com o alerta de que a articulação entre as entidades governamentais e a iniciativa privada é fundamental para o sucesso do setor. “O grande potencial de renda, de geração de empregos e de crescimento sustentável que o pré-sal possibilita tem atraído novos investimentos para a Bacia de Santos, estimulando o desenvolvimento local. O Competro, junto com a Fiesp e com o Ciesp, está empenhado em contribuir com esta transformação do setor de petróleo e gás que irá se refletir em todo o país”, afirmou Coelho, ressaltando que a Santos Offshore pode ser uma grande oportunidade para firmar novas parcerias e consolidar o fortalecimento do setor.

Plataforma de negócios
A Petrobrás também está bastante otimista com esta expansão, conforme apontado pelo gerente geral da Unidade de Operações da Petrobrás na Bacia de Santos (UO-BS), José Luis Marcusso. “Pretendemos realizar cerca de 500 atendimentos para o cadastro de empresas fornecedoras da cadeia de petróleo e gás em nosso estande durante os quatro dias de duração da Santos Offshore”, adianta. Entre outras atividades promovidas pela Petrobras no evento está uma apresentação do seu novo plano de negócios que mostrará como a empresa trabalhará para duplicar sua capacidade produtiva de 2 milhões de barris por dia para 4,2 milhões nos próximos oito anos. “O que queremos é mostrar que é possível crescer com segurança, garantindo a saúde e a qualidade de vida de todos os colaboradores e moradores locais”, revelou.

A solenidade foi encerrada com a participação de Ricardo Achilles, Secretário de Energia do Estado de São Paulo, que garantiu que o governo está olhando para este crescimento da Bacia de Santos com alegria e cuidado acima de tudo. “Temos procurado estabelecer o foco de nossas ações no suporte a este desenvolvimento, que imprescindivelmente deve ocorrer de forma sutantável”, finalizou.

Conferência
Nesta quarta-feira (17), terá início a conferência que ocorre paralelamente à Santos Offshore. A abertura da conferência, às 14h, será feita pelo geral da Unidade de Operações de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UO-BS), José Luiz Marcusso. Ele abordará o desenvolvimento do setor Offshore e as implicações para a Bacia de Santos.

“O Plano de Negócios e Gestão 2012-2016 da Petrobras prevê investimentos totais de US$ 236,5 bilhões em projetos e empreendimentos da Companhia no Brasil e no exterior. Desse montante, US$ 131,6 bilhões serão investidos na área de Exploração e Produção exclusivamente no Brasil, onde se incluem as operações da Bacia de Santos. Muitos projetos estão previstos para os próximos anos. Estima-se que a produção de petróleo no Brasil, que atualmente é de 2 milhões de barris por dia, atinja a marca de 2,4 milhões de barris em 2016 e chegue a 4,2 milhões de barris diários em 2020. E para alcançar essas metas, 38 novos sistemas de produção entrarão em operação até 2020, sendo 25 deles na Bacia de Santos”, afirma Marcusso.

“Os desafios são muitos, já que estamos falando de uma bacia sedimentar com mais de 350 mil quilômetros quadrados e cujas operações se estendem da cidade de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, até Florianópolis, em Santa Catarina. A complexidade cada vez maior das nossas operações tem nos levado a grandes desafios na área de logística. Quando trabalhamos no pré-sal da Bacia de Santos, por exemplo, estamos falando de atividades que acontecem a 300 quilômetros da costa. E isso exige, além de alta tecnologia, profissionais cada vez mais capacitados nas plataformas e uma equipe capaz, em terra, de oferecer todo o suporte operacional a esses trabalhadores embarcados”, ressalta.

A programação da conferência segue com uma apresentação às 16h sobre Captação de Recursos e Financiamento, liderada pelo superintendente do “Desenvolve São Paulo”, Gilberto Fioravante. Foram convidados representantes do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), da Caixa Econômica Federal e do Programa Progredir, além de instituições privadas de investimento.

Rodada de negócios
Também nesta quarta-feira terão início as Rodadas de Negócios da Ciesp e Fiesp, que têm como novidade a adoção da metodologia da Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip), a mesma utilizada na Brasil Offshore, de Macaé (RJ), possibilitando que empresas de pequeno, médio e grande porte possam apresentar seus produtos e serviços aos representantes da cadeia do setor offshore.

Em 2011, 23 empresas participaram da rodada e movimentaram cerca de R$ 38 milhões em novos negócios. Intensificados pelas demandas por conteúdo local e com a composição da cadeia de fornecedores do setor, os negócios do pré-sal em Santos encontram nas rodadas um catalisador de parcerias, aproximando compradores de fornecedores e favorecendo o desenvolvimento do segmento.

Santos Offshore Oil & Gas Expo 2012
Data: 16 a 19 de outubro de 2012
Local: Mendes Convention Center – Santos (SP)
Horário: terça a quinta das 14h às 21h e sexta das 14h às 19h
www.santosoffshore.com.br

Fonte: Padrão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *