Serra do Cafezal (SP) tem aumento de tráfego

Após um ano da entrega ao tráfego dos últimos trechos de duplicação da Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu (SP), os usuários da Arteris Régis Bittencourt já sentem as melhorias no trecho, segundo a concessionária.

A descida da Serra, que antes era realizada em uma média de 3 horas, agora é possível ser realizada num tempo médio de 25 minutos, em condições normais, após obras de duplicação. O ganho do tempo na descida trouxe mais usuários para a rodovia.

Em janeiro de 2019, houve um aumento de 6,7% no número de veículos de passeio que passaram pelas seis praças de pedágio, entre São Paulo e Curitiba, na comparação com o mesmo período de 2018, informa a Arteris.

Importantes obras foram ainda concluídas em 2018 naquele trecho da rodovia, como a melhoria de pavimento da pista antiga, a entrega de dois retornos operacionais e uma área de escape.

Foram liberados ao tráfego os novos retornos no km 351 (da pista sentido Curitiba para a pista sentido São Paulo) e no km 352 (da pista sentido São Paulo para a pista sentido Curitiba), ambos no trecho de Miracatu (SP).

Em 2018, a concessionária trabalhou na pavimentação do trecho entre o km 349 ao km 354 (pista sul – descida) e entre o km 363 ao km 357 (pista norte – subida).

A Arteris Régis Bittencourt também implantou uma área de escape, localizada no km 353 da pista sul (sentido Curitiba) da BR-116/SP. Liberado desde agosto do ano passado, o dispositivo serve de auxílio aos motoristas que perdem o freio na descida da Serra do Cafezal.

Com 130 m de comprimento, a área é composta por cinasita (argila expandida), que faz com que o veículo obtenha uma maior desaceleração em um menor espaço de tempo, sem causar danos aos veículos. A área de escape pode inibir acidentes como tombamentos e saídas de pista, minimizando a gravidade das ocorrências.

Principais investimentos na Serra do Cafezal (Fonte: Arteris):

– Duplicação de 30,5 quilômetros na Serra do Cafezal – entre Miracatu e Juquitiba;

– Construção de 2 dispositivos em desnível – retorno e acesso; Construção de 2 retornos operacionais;

– Implantação de 2 novas passarelas;

– Intervenção de pavimento e melhoria de sinalização em todo o trecho;

– Construção de 39 obras de artes especiais, entre pontes e viaduto;

– Construção de 4 túneis e 1 túnel de emergência para pedestre;

– Implantação de 1 área de escape para caminhões com problemas de freios na descida da Serra

Outro aspecto a ser ressaltado é a redução de acidentes e fatalidades na Serra do Cafezal, comparando o período do ano de início das obras de duplicação, em 2010, com 2018. A comparação dos dados aponta uma redução de 44,5% no número de acidentes e de 50% no número de fatalidades.

“A duplicação das pistas, por si só, já é um grande ganho para a segurança viária. No caso da Régis, os investimentos em obras e na operação da rodovia, reforçam ainda mais o nosso foco na redução de acidentes e fatalidades e vamos conseguir avançar por meio da sensibilização dos usuários na mudança de comportamento”, destaca o gerente de tráfego da Arteris Régis Bittencourt, Edivaldo Braga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *