Software e celular aposentam apontamento de papel no campo

Com um celular na mão e uma ideia de gestão na cabeça, operadores aposentam as antigas fichas de papel e conferem à informação on line a qualidade e a segurança para o acompanhamento seguro das obras de engenharia aqui ou no exterior

Tudo começou muito simples, a partir da análise das possibilidades de um aparelho de telefonia celular. A indagação que se fazia, em um primeiro momento, era a seguinte: Se o celular existe e a inteligência para explorar-lhe as possibilidades está na cabeça de quem pensa nos avanços futuros, por que ainda usar, no escritório da sede da empresa de engenharia e nos canteiros de obras, aquelas fichas de papel preenchidas meticulosa e demoradamente, às vezes com sérios riscos para a qualidade da informação?
A resposta às vezes derivava para evasivas. É que, há algum tempo, ainda não se tinha a segurança de que as coisas, nesse campo, poderiam ser drasticamente alteradas. As empresas de engenharia são invariavelmente conservadoras. E, enfrentar a tradição, significa mexer em rotinas de trabalho, treinar pessoal, sacudir o comodismo.
A ideia de mudar o sistema de apontamentos de obras ganhou força na Andrade Gutierrez há cerca de dois anos. Ela analisou a experiência que a Simova, empresa especializada no desenvolvimento e implantação de produtos e sistemas de software e hardware, com sede em São José dos Campos (SP), vinha acumulando, com o uso de telefones celulares convencionais, de baixo custo, disponibilizados para o segmento canavieiro.
Parecia evidente que, se o equipamento estava sendo utilizado, com êxito, no dia a dia das usinas de açúcar, para acompanhamento de extensas rotinas de trabalho, poderia ser adaptado também para utilização em canteiros de obras. Gestões foram realizadas e Andrade Gutierrez acabou estabelecendo parceria com a Simova para desenvolver seu sistema.

A implantação do ConstruMobil
O ConstruMobil – esse é o nome do sistema – foi desenvolvido e tornou-se novo personagem da história da construtora. "Esse recurso", explica o engenheiro da Controladoria da empresa, Rodrigo Fernandes de Barros, "é uma contribuição para o avanço da gestão em tempo real nos apontamentos de campo. Com o uso do celular, que hoje pode vir equipado com GPS e outros recursos, operadores treinados digitam as informações colhidas nos canteiros.
Os dados são transmitidos aos servidores da Andrade e, a partir daí, o gerenciamento é realizado via painéis, em telas LED/LCD, praticamente em tempo real: os dados podem ser atualizados a cada 50 segundos". A inovação, segundo ele, tem proporcionado à empresa uma gestão eficiente, solucionando difíceis problemas de logística.
Atualmente, com as equipes utilizando o novo sistema, identificando e corrigindo eventuais desequilíbrios e tomando medidas até para a antecipação de cronograma, não parece que trabalhos dessa natureza poderiam ser feito de modo manual, como em passado recente. Há cerca de dois anos, os apontamentos em papel, na construtora, eram difíceis de serem lidos e conservados. E até o ambiente em que as fichas eram preenchidas ou passadas a limpo, não favorecia muito a posterior conservação da papelada. Além disso, as informações ficavam dispersas e as pastas não paravam de ocupar cada vez maiores espaços.
Com o novo sistema eletrônico via celular, que permite o acompanhamento à distância e tomada de decisões imediatas, para superar pontos críticos, os dados sobre eficiência ou uso inadequado de equipamentos ou processos, índices de produtividade e outros elementos, são colhidos in loco e repassados para a engenharia de produção, que pode acionar outros recursos e equipes, de modo a evitar que os problemas, detectados, se agravem. A gestão, assim processada em tempo real, possibilita ganho de produtividade e redução de custos, na medida em que ajusta a orientação dos trabalhos no canteiro e reprograma as prioridades, se for o caso.
No começo da implantação do sistema, a construtora ainda tinha dúvidas quando à sua operacionalidade. Logo, no entanto, se apercebeu de que o celular está muito presente no cotidiano das pessoas. E, saltar do uso individual para a utilização corporativa foi muito mais fácil do que ela imaginou.
O sistema eletrônico de apontamento foi adotado pioneiramente nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e, de imediato, estendeu-se a outras obras da empresa ou naquelas nas quais ela está presente como líder de consórcio. Hoje, ele é usado nas obras em andamento no Brasil e em outros países da América Latina e África. o sistema está implantado também em Portugal.
Em Manaus (AM), o ConstruMobil processa as informações para a manutenção do ritmo de trabalho nas diversas frentes de obras do chamado Programa Social e Ambiental dos Igarapés, atuando no controle das construções da usina hidrelétrica Santo Antônio, em Rondônia, a exemplo do que ocorreu também em São Paulo, nas obras do Rodoanel.
O engenheiro Rodrigo Fernandes acredita que ainda este ano o processo eletrônico de apontamentos se estenderá a todas as obras que a construtora executa no País. "Um celular na mão e a ideia de boa gestão na cabeça", repete ele, "abre o caminho para mais uma modernização na engenharia."

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *