Categorias

25 de julho de 2021

Revista O Empreiteiro

Portal de informação sobre Infraestrutura, Construção Industrial e Edificações

A dificuldade na execução do AS BUILT de uma instalação em HDD

2 min read

A ordem natural e geométrica no subsolo, é obra de ficção (no mundo inteiro), afinal está fora do alcance da vista humana e daí... mas aqui no Brasil mesmo o que está no alcance da vista humana não tem essa organização veja essa foto

O Furo Direcional ou HDD, é sem dúvida um método para instalação de redes novas sensacional, afinal, conseguimos interferir muito pouco na superfície na região da instalação, reduzindo o incomodo para os moradores, prestadores de serviços, comércio, indústria, serviços públicos essenciais e o tráfego, para destacar alguns.


Também conseguimos mudar de direção durante a instalação da nova tubulação, outra grande vantagem, que permite ao projetista e ao executor, desviar de restrições ( e não são poucas) no subsolo.


Tudo isso seria perfeito se conseguíssemos estabelecer o caminhamento tomado pela instalação durante a construção do FURO PILOTO (o único momento em que direcionamos a coluna de perfuração), e pudéssemos definir os desvios ou curvas incontroláveis que o método executa (vide documento TR 46, do PPI Plastic Pipe Institute, e o livro HDD Perfuração Horizontal Direcional da NASTT traduzido para a língua portuguesa), sim, porque, como executamos curvas flambando um haste de aço, é necessário que a resistência oferecida pelo solo, seja maior que a resistência à flexão da haste, e como normalmente no MINI HDD não sondamos linearmente (Utilizando o método geofísico da ELETRORESISTIVADE), nunca sabemos que tipo de solo há definitivamente ao longo dos 180 metros que é o limite da categoria, e nos 300 mm de diâmetro.

Recentemente fizemos um esforço enorme para que o setor de distribuição de gás natural e água potável, se organizassem quanto à elaboração do AS BUILT, com uma tecnologia disponível no mundo há 10 anos. Trata-se de um Probe, com um sistema de localização giroscópico, portanto, que trabalha com informações gravitacionais e magnético do planeta, e utilizando pontos (início e fim da instalação) com leitura das coordenadas em GPS, você passa a ter o AS BUILT perfeito, eliminando o risco de cruzamento de redes.

Com um procedimento simples de leitura e upload diretamente do campo, o proprietário dos ativos consegue fazer mais de 2 km de leitura de HDD por dia, por equipe.


Você poderá baixar o vídeo, o TR 46 do PPI e o trabalho de MELHORES PRÁTICAS da CBSA Cross Bore Safety Association.

Engº Sérgio A. Palazzo
SAP SERVICE Engenheiros Consultores
Engº Sérgio A. Palazzo
Fundador, Past Chairman e Membro ativo da ABRATT
Ex-Membro do Comitê Executivo da ISTT, e Membro ativo do mesmo.
Diretor da SAP Service Engenheiros Consultores
Cel: 019 992 19 55 11

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *