Construtora Patriani espera crescer 75% em um ano

Com o ABC no seu DNA, a construtora Patriani planeja lançamentos entre o final deste ano e o ano que vem que vão significar um crescimento de 75%, passando das 482 unidades entregues até o fim de 2019  para 838 em 2020. Fundada por Valter Patriani em 2012 a empresa cresceu apostando em entregar produtos com melhor nível de acabamento e com soluções que trazem a melhor relação entre custo e benefício para os compradores.

O jovem executivo e presidente da empresa Bruno Patriani, falou sobre essa ascensão da empresa e da recuperação do mercado imobiliário durante entrevista ao RDTv, apresentado pelos jornalistas Carlos Carvalho e Leandro Amaral. “Para nós está indo bem”, disse sobre o mercado imobiliário. A Patriani tem feito produtos diferentes, acima da média, com um bom custo-benefício junto com um mercado que voltou, saindo de uma crise pesada. Isso é alavancado pela baixa dos juros e um pouco da criatividade do setor”, explica.

O sucesso de vendas veio com essa combinação oferecida pela Patriani. Bruno considera dois ‘cases’ importantes e dignos de nota. “Fizemos lançamentos bons, vendidos rapidamente que mostram que o mercado vem se aquecendo. O Alure, em Santo André, com valores de R$ 900 mil a R$ 1 milhão e em uma localização estratégica, foi totalmente vendido em um mês, o que já é bem bacana para o setor. O lançamento Kiruna, em São Caetano, em 12 horas vendemos as 90 unidades. O cliente já entendeu que o mercado está voltando”, destaca.

A fórmula de sucesso para as vendas da Patriani está no acabamento, nas soluções tecnológicas e em itens de conforto. “A gente quer entregar um apartamento para 2040 em 2020. Tem que estar antenado às tendências. O cliente não quer muito básico, tem que ter luzes de Led janelas grandes, vagas largas e com ar condicionado. Todos os nossos prédios já vão ter, por exemplo, ponto para drone, isso vai chegar no Brasil e o prédio tem que estar preparado. Fazemos o exercício de futurologia sempre, temos um time de inovação”, diz Patriani.

Outra questão que o comprador leva muito em conta na hora da compra é quanto vai custar o condomínio. “Mais que piscina e fitness o cliente quer soluções inteligentes, mas não quer pagar mais por isso. Temos uma especialista que já faz o cálculo, então o custo do condomínio já faz parte da venda”, detalha o presidente da construtora.

A conjuntura econômica atual é outro fator que tem contribuído para o setor da construção começar a tirar o pé do freio e engatar uma quinta marcha. “É o melhor ano em anos é o melhor momento para comprar por juros mais baixos. Todo mundo compra na planta e tem o INCC (Índice Nacional da Construção Civil) que está hoje em 3,9%, portanto o boleto é muito pouco corrigido, e depois de pronto o imóvel tem a sua valorização. Os maiores três bancos estão brigando nas taxas o que é saudável para o cliente”, diz o executivo da Patriani.

Em junho a construtora vai entregar o Serafina Offices Patriani, em Santo André. Trata-se de um empreendimento com salas comerciais e que também dará lugar à nova sede da construtora, hoje baseada em São Caetano. O prédio será o primeiro do Brasil com a certificação internacional Aqua, que  estabelece procedimentos sustentáveis na construção e na sua operação. “Meio prédio será para nós, vamos pegar 7 ou 8 andares, na Padre Manoel da Nóbrega. “É um prédio revolucionário, moderno e um endereço bacana para atender melhor os clientes. Terá selo Aqua voltado para países tropicais, teremos gerador à gás que atender o ar-condicionado; a fachada moderna terá uma face inteira de vidro por onde passa luz e não calor. É uma obra verde, sustentável,com descarte correto de materiais e uso de madeira certificada. Os demais escritórios terão 120 metros ideais para aquelas empresas que queiram um prédio sustentável”, finaliza Bruno Patriani.

FONTE: Reporter Diário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *