Encontro OE/Totvs em Salvador-BA discute infraestrutura para a Copa

O governo da Bahia e a prefeitura de Salvador se revelaram articulados nos programas e nas obras em andamento para a Copa de 2014 e para o legado que este e outros eventos esportivos futuros, que vêm motivando iniciativas para a melhoria da infraestrutura local, devem deixar para a sociedade baiana.

O encontro, realizado nos salões de convenção do Fiesta Bahia Hotel, teve a participação de Sérgio Costa, coordenador de Projetos, do Escritório Municipal da Copa (Ecopa); Márcio Lima, coordenador de promoção e eventos da Secopa Bahia, da Secretaria Estadual para Assuntos da Copa de 2014; Luiz Hebert Silva Motta, presidente da Companhia de Transporte de Salvador; Carlos Alberto Matos Vieira Lima, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado da Bahia (Sinduscon-BA); Claudemiro Santos Júnior, presidente regional do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Sinaenco-BA); João Batista Paim, presidente do Clube de Engenharia e Petrus Júnior Evangelista, da Totvs.

Em linhas gerais, falou-se do esforço que as duas instâncias de governo vêm realizando para os investimentos nas obras destinadas a resolver as questões da mobilidade urbana, em especial aquelas para a reativação da construção do metrô e o papel de relevância que ele assumirá no processo de integração de transportes para a Região Metropolitana. Hoje, o metrô de Salvador está inconcluso: as obras ficaram paradas quando ele possuía apenas 6 km de linha.

Os governos do Estado e da prefeitura acabam de anunciar que o modal de transporte urbano a ser implantado na avenida Paralela será o metrô. A rede intermodal de transporte coletivo, a ser implementada, e que inclui as obras metroviárias ao longo da avenida Paralela, deverá atender a população de vários bairros, dentre eles Subúrbio Ferroviário, Valéria, Pirajá e Cajazeiras.

Carlos Alberto Vieira Lima (Sinduscon-BA), Claudemiro Santos (Sinaenco-BA) e João Batista Paim reconheceram, em linhas gerais, que as questões da mobilidade urbana são muito graves, em Salvador, uma cidade que se acostumou, ao longo dos anos, a dar absoluta prioridade ao carro particular. Dizem que o planejamento para as obras de mobilidade urbana está chegando atrasado, mas que são importantes as iniciativas em curso para proporcionar a Salvador um transporte de qualidade, não apenas em função da Copa, mas por causa das exigências da população e do próprio processo de crescimento da cidade.

Petrus Júnior Evangelista, da Totvs, fez sua palestra calcado em números que mostram o bom desempenho da construção em anos recentes. Nildo Carlos Oliveira, representando a Revista O Empreiteiro, dirigiu os trabalhos.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *