Investimento da Vale em Belo Monte seria bom no longo prazo, diz corretora

A possível participação da Vale em um dos consórcios que participarão do leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, seria positiva para a companhia no longo prazo, segundo os analistas da corretora Link Investimentos. A mineradora poderia participar do leilão como autoprodutora, ou seja, teria acesso à geração de energia apenas para consumo próprio, podendo ter, no máximo, 20% do consórcio.

De acordo com a corretora, o interesse da Vale, no consórcio seria mais um movimento estratégico para reduzir custos energéticos. A companhia poderia usar a energia produzida em Belo Monte em suas operações no Pará, entre elas, a Albrás e a Alunorte. A Vale. já usa 4% da energia consumida no Brasil e a produção de alumínio é um processo que demanda grande quantidade de energia.

Esta necessidade energética é o gargalo da produção de alumínio no Brasil, segundo os analistas da Link. Entretanto, a Vale vê o bom potencial existente no país para este segmento e deve aproveitá-lo. A corretora mantém sua recomendação de compra para as ações da Vale.

Às 15h38, as ações da Vale (VALE5) eram negociados em queda de 0,43%, a 36,98 reais. O Ibovespa operava em queda de 0,21%, aos 62.235 pontos.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *