Projetos de engenharia de Cerro Negro e Painel estão concluídos

O Iparque, da Unesc, é responsável pelo desenvolvimento dos projetos de engenharia de esgotamento sanitário dos municípios de Cerro Negro, Painel, Palmeira e Ponte Alta – Foto: Unesc/Divulgação

Mais dois municípios da Serra Catarinense estão com seus projetos de engenharia de esgotamento sanitário concluídos. O Parque Científico e Tecnológico (Iparque) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) entregou ao Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense (Cisama) os projetos para Cerro Negro e Palmeira.

O Iparque também é responsável pela elaboração dos estudos referentes aos municípios de Painel (que será entregue na semana que vem) e Ponte Alta (iniciado em dezembro deste ano, com prazo de 12 meses para conclusão).

Cada projeto tem custo de R$ 135 mil e contém os estudos de concepção, o projeto geral com área de cobertura total, os projetos de rede coletora, das estações elevatórias e da estação de tratamento de efluentes (ETE), além dos projetos estrutural e elétrico.

Com este levantamento completo em mãos, os municípios poderão ir em busca de recursos de fomento para a implantação dos seus sistemas de tratamento de esgotamento sanitário.

O coordenador do Centro de Pesquisa e Estudos Ambientais (CPEA) do Iparque/Unesc, Sérgio Galatto, explica que todos os projetos foram montados com base nos princípios da Lei Federal 11.445/2007, que estabelece a Política Nacional de Saneamento Básico.

“Mais do que atender à lei, o maior benefício com a implementação de um sistema de esgotamento sanitário é voltado para a saúde pública, porque contribui para a redução das doenças relacionadas ao saneamento básico. Além disso, traz melhoria na qualidade dos mananciais dos rios da região.”

Mais municípios

De acordo com a coordenadora de projetos na área de saneamento básico do Cisama, Katynara Goedert, há ainda projetos de engenharia de esgotamento sanitário que estão sendo desenvolvidos por outras empresas.

O de Correia Pinto, elaborado pela L’Art Arquitetura e Engenharia, também já foi concluído e entregue. O de Anita Garibaldi está sendo desenvolvido pela AR Engenharia.

Katynara explica que, após receber o estudo concluído, o Cisama repassa para cada município e, só então, é possível começar a fase de captação de recursos para execução do projeto, que pode ser feita pelo município ou até mesmo pelo Cisama.

Muito a avançar

Investir em saneamento básico é extremamente importante para melhorar a qualidade de vida da população. Segundo o IBGE, com base do Censo de 2010, Ponte Alta tem 40% do seu esgoto destinado adequadamente, Cerro Negro apenas 27%, Painel 51,2% e Palmeira aparece com 49,4%. 

O portal não detalha se a população é atendida por sistema de coleta e tratamento de esgoto, ou se as residências possuem fossa e sumidouro. Em função do tempo decorrido desde aquele senso, a realidade atual deve ser muito diferente.

A tendência é de crescimento das cidades. Caso não tenham ocorridos investimentos no período, o percentual de população atendida tende a diminuir. A importância do saneamento básico começa por sua influência na saúde, qualidade de vida e no desenvolvimento da sociedade como um todo.

O contato com esgoto e o consumo de água sem tratamento estão ligadas à altas taxas de mortalidade infantil. A principal causa são doenças como parasitoses, diarréias, febre tifóide e leptospirose.

Fonte: CL Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *