TransCarioca utiliza tecnologia alemã para produção de concreto asfáltico

Com a realização da Copa do Mundo e Olimpíadas no Rio de Janeiro, a TransCarioca, uma das principais obras de mobilidade realizada na cidade, está sendo pavimentada com uma mistura asfáltica especial conhecida como Stone Matrix Asphalt ou SMA. Criada na Alemanha, esta tecnologia se compromete a fornecer um pavimento com maior vida útil (superior a 50% em relação às técnicas tradicionais), com maior rugosidade superficial aumentando o contato do pneu com o pavimento, reduzindo assim a distância de frenagem, características que resultam em um maior custo/benefício.

A usina para fabricação da mistura tipo SMA é marca Ciber, modelo UACF 17 P2 com capacidade máxima produtiva de 120 t por hora. O equipamento apresenta todos os rígidos requisitos para produção desta mistura especial como misturador externo tipo pug-mill e silos individuais para incorporação de cal hidratada e fibra de celulose, tudo controlado automaticamente pelo computador da usina.

“Uma ‘marca registrada’ do SMA é a utilização de fibras de celulose na mistura. Este material apresenta elevada área superficial e, logo, permite colocar mais CAP (Cimento Asfáltico de Petróleo) na mistura, aumentando a flexibilidade do pavimento. A curva granulométrica é descontínua, com grande quantidade de agregados graúdo e assim aumentando a resistência mecânica. Trata-se de uma combinação insuperável de flexibilidade e resistência” comenta Marcelo Zubaran, especialista de produtos da Ciber Equipamentos Rodoviários.

Construída com investimento federal e municipal de mais de R$ 1,5 bilhão, a Transcarioca corta o município transversalmente, ligando a Barra da Tijuca à Ilha do Governador por 39 km de extensão, passando por 45 estações e 14 bairros.

Fonte: Redação OE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *