Brasil deve ampliar exploração de energia

A necessidade de aumentar a capacidade de exploração da energia hidrelétrica no Brasil foi defendida pelo deputado Geraldo Coelho (PTB). Ontem, o petebista disse apoiar o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que criticou o “exagero” na implementação de leis ambientais, em matéria publicada no Diario de Pernambuco, no último dia 15. Coelho defende a tese de Lobão, afirmando que o País tem potencial para gerar 200 mil megawatts de energia, no entanto, apenas um terço é utilizado.

“As dificuldades impostas pela legislação ambiental criam embaraços. São decisões que se confrontam com a tecnologia e podem resultar em apagões, gerando um problema bem maior que a crise financeira mundial”, ponderou, reproduzindo as alegações do ministro.

O petebista contou que, recentemente, esteve em Brasília, participando de uma reunião na Confederação Nacional da Agricultura (CNA), sob o comando da senadora Kátia Abreu. Para ele, “é necessário que os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário se articulem e aprimorem a gestão do ecossistema. Se não houver a ampliação da oferta de energia hidrelétrica – que custa menos para o consumidor- a busca será por fontes alternativas de alto custo e mais poluentes, a exemplo do carvão”, observou.

Coelho citou a Hidrelétrica de Sobradinho como um caso de sucesso. Localizada no Vale do São Francisco, a obra conta com o maior lago artificial do mundo. “Hoje, com a regularização da vazão e a sustentabilidade do uso da água para irrigar, o Vale é o maior pólo de fruticultura do Brasil”, enfatizou.

Antes de Sobradinho, a vazão do Rio São Francisco era de 600 metros cúbicos por segundo, agora, são 18 mil metros cúbicos por segundo. Um dos problemas citados por Lobão é o fato de a legislação brasileira proibir a construção de hidrelétricas que resulte na formação de lagos.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *