Conforto faz Guararapes ser preferido em pesquisa com viajantes

 

Augusto Diniz – Recife (PE)

Considerado um dos melhores aeroportos do Brasil, indicado recentemente por instituições como a Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor e a consultoria inglesa de análise do mercado de aviação Skytrax, o Aeroporto Internacional dos Guararapes Gilberto Freyre, no Recife (PE), administrado pela Infraero, tem o conforto ao usuário como sua principal característica. E, de fato, há várias evidências disso no terminal aeroportuário, em visita feita pela revista Guia de ­Tecnologia Aeroportuária (GTA).

 

A primeira delas é representada por números de passageiros/ano. Ano passado, o aeroporto recebeu 8,6 milhões de passageiros — o aeroporto é o 10° mais movimentado do País. Mas sua capacidade é de 16 milhões de passageiros/ano. Ou seja, quase o dobro, ao contrário da maior parte dos terminais aeroportuários brasileiros, que se encontra em estado de saturação há anos.

 

Com mais espaço e bem dimensionado, ele proporciona maior rapidez e conforto ao usuário a partir do momento em que ele chega ao aeroporto, vai ao balcão de check-in, usa algum serviço da área comum (como praça de alimentação e banheiros), acessa a área de embarque e se acomoda em um assento para aguardar seu voo. Este ritual com mais conforto é facilmente sentido por quem costuma se deslocar com frequência usando a deficitária infraestrutura aeroportuária brasileira. 

 

 

O Aeroporto do Recife é antigo, data da década de 1950, e foi ampliado ao longo do tempo. Em 2004, um novo terminal foi inaugurado e o antigo, desativado. Esse foi o momento do grande salto de qualidade que o aeroporto deu, incorporando tecnologia avançada.

 

Com uma área construída de 52 mil m², o terminal possui 66 balcões de check-in e 11 pontes de acesso às aeronaves – no total, são 21 posições de aeronaves, sendo 10 operando remotamente. São seis elevadores, além de dois novos que estão sendo instalados na parte central da edificação, em área comum de passageiros. Existem seis escadas rolantes.

 

 A comunicação com o usuário é eficiente e conta com 66 sistemas informativos de voo (SIV) espalhados pelo terminal e seis videowalls (grandes monitores que registram partida e chegada de voos). Na área de desembarque, nas seis esteiras de retirada das malas, seis monitores informam sobre os voos, e seis mostram ao vivo o manuseio das malas do carro de transporte de carga proveniente da aeronave e a sua colocação na esteira.

 

A área de comércio atinge o conceito de ­aeroshopping, com variedades de serviços, como agências dos Correios e bancária. São 15 restaurantes, incluindo um popular, administrado pela Infraero, com 15 itens de preços controlados – a experiência foi implementada no ano passado para a Copa das Confederações e segue até hoje não somente nos Guararapes, mas também em outros aeroportos brasileiros.

 

 Acesso

O Aeroporto do Recife é também fácil de chegar e sair. Ele está a apenas 10 minutos da principal praia da capital pernambucana, onde se encontra a maior parte dos hotéis: Boa Viagem. Portanto, esqueça perder horas no trânsito.

 

 

O aeródromo possui 11 pontes de acesso às aeronaves: mais um item de comodidade aos passageiros

 

Além disso, possui uma estação de metrô – o sistema metroviário do Recife tem duas linhas, com ligações rápidas ao centro da cidade. Uma passarela exclusiva de quase 500 m, com três esteiras rolantes, conecta a estação ao aeroporto. Este serviço de transporte público conectado ao aeroporto é uma raridade no Brasil.

 

O terminal tem também duas linhas de ônibus: uma regular e uma especial para o centro do Recife.

 

Arquitetura

A arquitetura do terminal de passageiros, criada pelo escritório Moretti, chama a atenção. A edificação tem 270 m de comprimento e 70 m de largura. A cobertura é uma imponente estrutura metálica. Uma claraboia no centro do terminal, onde se concentram as escadas rolantes e elevadores para acesso aos outros dois pisos, permite a entrada abundante de luz natural, tornando o ambiente interno mais agradável de circular. Em seu interior, encontra-se mural e estátuas do artista pernambucano Francisco Brennand, dentre outros. 

 

O terminal, com duas alas de embarque (Norte e Sul), tem operação 24 horas por dia com quatro companhias nacionais e quatro internacionais – são 220 pousos e decolagens diariamente. O terminal ainda possui um corredor que separa o fluxo de quem desembarca do saguão de embarque – alguns aeroportos brasileiros uniram em anos recentes os dois fluxos, extinguindo o corredor de desembarque do terminal que dá acesso às esteiras de bagagem, para abrir espaço na área de embarque, como já acontecia em alguns aeroportos no exterior.

 

O estacionamento, localizado em um edifício-garagem no sítio portuário, possui 2.020 vagas. A única pista do aeroporto mede 3.300 m de extensão x 45 m de largura. O pátio tem 139 mil m².

 

O aeroporto conta com um terminal de cargas de exportação e importação com 6.125 m². Existe ainda uma base aérea no lado oposto ao terminal – lá funciona a torre de comando. Há também hangares para aviação civil. O complexo aeroportuário todo soma 4,2 milhões de m², um dos maiores do País.

Fonte: GTA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *