Curitiba planeja investir R$ 4,5 bi para Copa

Cerca de R$ 4,5 bilhões em investimentos até 2014. Esse é o volume de recursos públicos já previstos para projetos de infraestrutura urbana e mobilidade para Curitiba até 2014, ano da Copa do Mundo na cidade. Entre os projetos, a primeira linha do metrô na cidade, que prevê um investimento de R$ 2 bilhões. “O governo federal precisa estudar mecanismos que agilizem os processos de liberação de recursos para que os projetos sejam executados a tempo”, disse o assessor de Relações Institucionais da Prefeitura de Curitiba, Luiz de Carvalho, gestor da cidade para a Copa do Mundo 2014, nesta terça-feira (30), em Brasília (DF), na 1.ª Reunião das Cidades-Sede da Copa 2014.

O evento, organizado pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP), visou compartilhar boas experiências e promover a articulação entre as 12 Prefeituras que sediarão jogos da Copa. A FNP reúne cerca de 200 prefeitos das capitais e das grandes metrópoles brasileiras.

Esse volume de recursos previstos para Curitiba refere-se apenas aos investimentos públicos federais, estaduais, municipais e de programas de financiamento de instituições internacionais como Agência Francesa de Desenvolvimento, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Fonplata (Fondo Financiero para El Desarrollo de La Cuenca Del Plata).

“Sem dúvida, a Copa do Mundo também atrairá investimentos privados. É preciso planejar parcerias para viabilizar projetos com a iniciativa privada”, observou Carvalho, em sua apresentação sobre o projeto de Curitiba para sediar o Mundial de Futebol. Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo também apresentaram seus projetos para a Copa 2014.

Além do metrô, em Curitiba, estão previstos investimentos para melhorar a acessibilidade entre o aeroporto e o estádio Joaquim Américo, nas Avenidas Comendador Franco e Marechal Floriano Peixoto; a melhoria da rede hospitalar; o reforço da infraestrutura de energia e nas questões de mobilidade, acessibilidade e aumento da capacidade do transporte coletivo; os investimentos na segurança e saneamento básico; ampliação da rede hoteleira e da infraestrutura de telecomunicações, que poderá permitir à cidade receber o centro de mídia da Copa, que retransmite as imagens para todo o mundo.

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *