Petrobras vai investir US$ 71,6 bilhões na área de abastecimento

A Petrobras vai investir US$ 71,6 bilhões na área de Abastecimento até 2016, com foco na modernização e expansão de seu parque de refino. Ao todo, são 255 projetos em implementação na área, com destaque para a Refinaria Abreu e Lima e para o primeiro trem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), proporcionando um salto na capacidade de refino da Petrobras de cerca 400 mil barris por dia.

O detalhamento do Plano de Negócios e Gestão da Companhia, para os segmentos de negócio ligados ao Abastecimento, foi apresentado ontem (29) pelo diretor dessa área da Companhia, José Carlos Cosenza, que destacou ações com foco em melhorias do processo de gestão. Segundo o diretor, “um componente importante introduzido no Plano de Negócio foi a gestão integrada de portfólio, voltada para o acompanhamento dos projetos, buscando a melhoria contínua através da curva S de desempenho de cada um empreendimento. Estas curvas envolvem o acompanhamento mensal dos projetos, atendendo às metas financeiras e físicas de cada um. Com isso vamos ter condições efetivas para acompanhar detalhadamente e com mais precisão os projetos e corrigir eventuais distorções.”

Cosenza destacou as oportunidades do mercado brasileiro: “Temos uma grande oportunidade que é o nosso mercado. No período 2001-2011, enquanto no Brasil a demanda gasolina subiu em torno de 40%, no mercado global o aumento foi de apenas 15%. No diesel, 29% no mercado internacional e no país 43%”.

Os investimentos previstos no segmento visam a atender essa demanda crescente. Só em projetos de ampliação do parque de refino em implantação, estão previstos investimentos de US$ 24,9 bilhões. A entrada em operação da Refinaria Abreu e Lima e do primeiro trem do Comperj vão permitir redução no volume de importação de diesel. Segundo o diretor, as importações de diesel estão estimadas em 280 mil barris por dia em 2014, devendo cair para 100 a 120 mil barris por dia em 2016. Em relação à gasolina, a previsão é de cerca de 90 mil barris por dia tanto para 2014 quanto 2016.

Os investimentos para ampliação do parque de refino se somam a uma série de empreendimentos que a Petrobras já vem realizando nos últimos anos, incluindo medidas para maior eficiência operacional, otimizando a utilização de seus ativos. Destacando os resultados que já foram obtidos, o diretor ressaltou que “comparando o primeiro semestre de 2012 com o primeiro semestre de 2011, estamos processando 61 mil barris por dia a mais e trabalhando com um fator de utilização do parque de refino (FUT) na faixa de 96%, percentual recorde na empresa”. Com o aumento do volume de petróleo processado conseguimos acrescentar uma produção média de 83 mil barris de derivados por dia. Essas ações, buscando a melhoria operacional, continuarão a ser implementadas, envolvendo investimentos de US$ 11 bilhões em projetos já em implantação nas refinarias existentes.

Esse plano de modernização do parque de refino, que está em curso, permitirá à Companhia processar mais petróleo nacional, aumentar a produção de derivados de alto valor agregado em seu mix de produtos e produzir combustíveis com menor teor de enxofre. Com os projetos, o nível de complexidade médio das refinarias da Petrobras, que estava no nível 7 em 2006, chegará perto de 10 em 2016. O índice de complexidade refere-se à capacidade de gerar mais produtos nobres com o mesmo volume de petróleo.

O diretor destacou ainda projetos voltados à infraestrutura, onde serão realizados importantes investimentos, como o da Unidade Offshore de Transferência e Estocagem (UOTA). Segundo ele, é “um importante projeto que vai receber o petróleo das nossas plataformas e transferi-lo para navios que escoaram o produto para as nossas refinarias ou para exportação.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *